Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

TRE-SP autoriza Araújo a deixar o PMDB sem risco de perder cadeira

Órgão julgou ação de vereador andreense e deu parecer pela liberação


Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

14/08/2015 | 07:00


O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) autorizou a saída partidária do vereador de Santo André José de Araújo (PMDB) sem risco da perda do mandato. O órgão julgou ontem a ação movida pela defesa do peemedebista e, por seis votos a zero, deu parecer favorável ao parlamentar, que alegou, no processo, perseguição política. Diante da decisão do colegiado, Araújo vai protocolar hoje ofício junto à executiva municipal pedindo sua desfiliação e outro documento para comunicar o cartório eleitoral. O acórdão será publicado na semana que vem.

Advogado de Araújo no caso, Leandro Petrin sustentou que a ordem judicial libera Araújo ao configurar “discriminação” no episódio em que o vereador foi enquadrado em processo de comissão de ética do diretório estadual. O bloco foi montado devido ao pedido de expulsão da executiva local, presidida por Nilson Bonome. O processo dura 20 meses e não teve desdobramento.

A deliberação do TRE-SP, por sua vez, saiu após oito meses. A oficialização do desligamento do peemedebista ocorre depois de 44 anos de casa. Foram dois mandatos na Câmara pelo MDB (nas eleições de 1972 e 1976) e outros cinco pelo PMDB, além de um no Executivo, quando foi vice-prefeito entre 1993 e 1996 de Newton Brandão (morto em 2010). Disputou o Paço em 1996.

Ao retornar ontem da sessão do tribunal, na Capital, Araújo concedeu entrevista no Legislativo e se emocionou em alguns instantes. “É momento de muita tristeza ao ter de deixar a sigla, na qual militei por todo esse tempo. Meu único partido. Estou há quase dois anos em comissão de ética em ação que está na gaveta. Isso me causou prejuízo político e moral.”

O peemedebista ainda não definiu a sigla para qual vai migrar para concorrer à reeleição. Araújo argumentou que não dava para tratar da situação em antes do julgamento. “O caminho é me filiar a partido que apoie a reeleição do prefeito Carlos Grana (PT). Não podia falar anteriormente com A, B ou C”, disse. A ideia inicial era o PSD, mas o afastamento de Paulinho Serra do governo reduziu essa possibilidade. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

TRE-SP autoriza Araújo a deixar o PMDB sem risco de perder cadeira

Órgão julgou ação de vereador andreense e deu parecer pela liberação

Fabio Martins
Do Diário do Grande ABC

14/08/2015 | 07:00


O TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) autorizou a saída partidária do vereador de Santo André José de Araújo (PMDB) sem risco da perda do mandato. O órgão julgou ontem a ação movida pela defesa do peemedebista e, por seis votos a zero, deu parecer favorável ao parlamentar, que alegou, no processo, perseguição política. Diante da decisão do colegiado, Araújo vai protocolar hoje ofício junto à executiva municipal pedindo sua desfiliação e outro documento para comunicar o cartório eleitoral. O acórdão será publicado na semana que vem.

Advogado de Araújo no caso, Leandro Petrin sustentou que a ordem judicial libera Araújo ao configurar “discriminação” no episódio em que o vereador foi enquadrado em processo de comissão de ética do diretório estadual. O bloco foi montado devido ao pedido de expulsão da executiva local, presidida por Nilson Bonome. O processo dura 20 meses e não teve desdobramento.

A deliberação do TRE-SP, por sua vez, saiu após oito meses. A oficialização do desligamento do peemedebista ocorre depois de 44 anos de casa. Foram dois mandatos na Câmara pelo MDB (nas eleições de 1972 e 1976) e outros cinco pelo PMDB, além de um no Executivo, quando foi vice-prefeito entre 1993 e 1996 de Newton Brandão (morto em 2010). Disputou o Paço em 1996.

Ao retornar ontem da sessão do tribunal, na Capital, Araújo concedeu entrevista no Legislativo e se emocionou em alguns instantes. “É momento de muita tristeza ao ter de deixar a sigla, na qual militei por todo esse tempo. Meu único partido. Estou há quase dois anos em comissão de ética em ação que está na gaveta. Isso me causou prejuízo político e moral.”

O peemedebista ainda não definiu a sigla para qual vai migrar para concorrer à reeleição. Araújo argumentou que não dava para tratar da situação em antes do julgamento. “O caminho é me filiar a partido que apoie a reeleição do prefeito Carlos Grana (PT). Não podia falar anteriormente com A, B ou C”, disse. A ideia inicial era o PSD, mas o afastamento de Paulinho Serra do governo reduziu essa possibilidade. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;