Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Às margens do Araguaia


Cristie Buchdid
Do Diário do Grande ABC

21/09/2010 | 07:02


Mistura poética dos mundos rural e urbano é a proposta da próxima novela das seis da TV Globo, Araguaia, que estreia na segunda-feira com cenas impressionantemente belas do rio que batiza a trama e nasce em Goiás com a missão de fazer divisa natural entre Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão e Pará. São 2.114 quilômetros de belezas naturais que servirão de cenário. O autor, Walther Negrão, anuncia que a novela descreve universos ricos e mostra um lugar no coração do País pouco explorado pela TV brasileira.

É nas margens desse rio, de muitas lendas e histórias, que será contada a de amor entre a veterinária Manuela (Milena Toscano) e o adestrador de cavalos Solano (Murilo Rosa). Será a primeira protagonista da atriz andreense de 26 anos, que trabalha há quatro na Globo. "A quantidade de trabalho aumenta muito. A responsabilidade também, mas levo como qualquer outro trabalho, pois acho que todos são importantes. Quando leva todos com a mesma importância, o ator sobe um degrau por vez", acredita Milena, que grava de segunda-feira a sábado, das 9h às 22h, sobrando pouco tempo para visitar os pais, que moram em Santo André. Para conquistar o papel, a atriz passou por três testes, sem saber que poderia conduzir a trama.

Milena acredita que a personalidade forte é o ponto mais encantador de sua personagem. "Ela não é o tipo de mocinha com a qual todo mundo está acostumado, que chora. A força dessa menina, tratada como bonequinha de porcelana, encanta", adiantou Milena, entre a gravação de uma cena e outra.

Conhecida como princesinha do Araguaia, Manuela é filha do rico criador de gados Max (Lima Duarte), homem desonesto e que coloca seus interesses acima de tudo. "Depois, ela vê que o castelo de cristal, na verdade é de vidro e quebra. É interessante como ela vai lidar com problemas da vida", diz Milena.

Tudo era tranquilo, até demais, na vida de Manuela, noiva do empresário Vitor Vilar (Thiago Fragoso), com quem está prestes a casar, mas mantém relacionamento morno. Problemas, ou soluções, começam com a chegada de Solano (Murilo Rosa), por quem Manuela se apaixona e é correspondida.

Com espírito justiceiro, Solano torna-se o maior inimigo do pai de Manuela, por não admitir as maldades do fazendeiro com a população local. Max fez fortuna explorando garimpeiros de cristal, montou serraria clandestina e desmata a região. Manuela, no entanto, tem outra visão do amado pai. Quando Solano tenta revelar o mau caratismo de Max, a mocinha ficará em dúvida. "Ela vai atrás para saber se ele está falando a verdade".

LENDAS
O grande desafio de Solano, o herói da novela, é viver contra o próprio destino. Sua família é vítima de maldição indígena desde 1845, quando uma ascendente ‘roubou' um índio de sua mulher. Desde então, todos os homens do clã morrem prematuramente às margens do Rio Araguaia.

Por isso, a avó de Solano, Antoninha (Regina Duarte), entregou o filho, Fernando (Edson Celulari), à amiga Mariquita (Laura Cardoso), para que a criança fosse criada bem longe dali.

Anos depois, Fernando e seu filho, Solano, vão ao Araguaia conhecer as origens e Antoninha, mãe e avó, respectivamente. Em seu leito de morte, ela pede que saiam da região, antes que a maldição se cumpra. Tarde demais. Na véspera da partida, Fernando morre na cama, deixando a mulher, a sedutora Estela (Cléo Pires), que depois vai se envolver com Solano, completando o quadrado amoroso.

GIRASSOL
Disposto a desafiar sua sina, Solano segue no Araguaia, onde se sensibiliza pelo sofrimento do povo, vítima do tirano Max. Solano mobiliza a população para criar a cidade cooperativista Girassol, que representará a paz da comunidade e o início de uma batalha com o pai de sua amada.


‘HD' estreia na faixa das seis
Araguaia chega para revolucionar. O motivo é que será a primeira novela das seis da TV Globo exibida em HD (High Definition), que oferece melhor qualidade de imagem e som. Segundo a emissora, daqui para frente, todo conteúdo de teledramaturgia será em alta definição.

A faixa das seis era a única de novelas ainda não produzida em HD. A das oito foi a primeira beneficiada com a tecnologia, com início em Duas Caras, que estreou em outubro de 2007. A atual trama das sete, Ti-ti-ti, iniciou a exibição em HD no horário.

Para visualizar em alta definição, no entanto, o telespectador precisa ter conversor digital ou aparelho de televisão com o equipamento embutido, além de antena de UHF em ambos os casos.

A alta definição faz a diferença nos mínimos detalhes, demandando, inclusive, adaptação da produção. Técnicas de maquiagem, por exemplo, foram pensadas levando-se em conta a tecnologia das imagens. Responsável pela equipe de caracterização, Marlene Moura espalha bem a base, suavizando e dando brilho à pele. Tudo para conseguir ótimo efeito em HD. O grande desafio foi envelhecer a atriz Regina Duarte, que está irreconhecível. A personagem, a fazendeira Antoninha, morrerá no primeiro capítulo.

PRODUÇÃO
Nos bastidores, a complexidade de produzir cada capítulo. As gravações tiveram início no dia 29 de junho no distrito goiano de Luis Alves, às margens do rio Araguaia. Telespectadores nem imaginam que o diretor, Marcos Schechtman, e o gerente de produção, Rodrigo Tapias, passaram dez horas percorrendo o rio em busca da melhor locação.

Cem profissionais foram do Rio para Goiás. Nas bagagens, cinco toneladas de equipamento de engenharia, produção de arte e cenografia, além de 20 malas de figurino.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Às margens do Araguaia

Cristie Buchdid
Do Diário do Grande ABC

21/09/2010 | 07:02


Mistura poética dos mundos rural e urbano é a proposta da próxima novela das seis da TV Globo, Araguaia, que estreia na segunda-feira com cenas impressionantemente belas do rio que batiza a trama e nasce em Goiás com a missão de fazer divisa natural entre Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão e Pará. São 2.114 quilômetros de belezas naturais que servirão de cenário. O autor, Walther Negrão, anuncia que a novela descreve universos ricos e mostra um lugar no coração do País pouco explorado pela TV brasileira.

É nas margens desse rio, de muitas lendas e histórias, que será contada a de amor entre a veterinária Manuela (Milena Toscano) e o adestrador de cavalos Solano (Murilo Rosa). Será a primeira protagonista da atriz andreense de 26 anos, que trabalha há quatro na Globo. "A quantidade de trabalho aumenta muito. A responsabilidade também, mas levo como qualquer outro trabalho, pois acho que todos são importantes. Quando leva todos com a mesma importância, o ator sobe um degrau por vez", acredita Milena, que grava de segunda-feira a sábado, das 9h às 22h, sobrando pouco tempo para visitar os pais, que moram em Santo André. Para conquistar o papel, a atriz passou por três testes, sem saber que poderia conduzir a trama.

Milena acredita que a personalidade forte é o ponto mais encantador de sua personagem. "Ela não é o tipo de mocinha com a qual todo mundo está acostumado, que chora. A força dessa menina, tratada como bonequinha de porcelana, encanta", adiantou Milena, entre a gravação de uma cena e outra.

Conhecida como princesinha do Araguaia, Manuela é filha do rico criador de gados Max (Lima Duarte), homem desonesto e que coloca seus interesses acima de tudo. "Depois, ela vê que o castelo de cristal, na verdade é de vidro e quebra. É interessante como ela vai lidar com problemas da vida", diz Milena.

Tudo era tranquilo, até demais, na vida de Manuela, noiva do empresário Vitor Vilar (Thiago Fragoso), com quem está prestes a casar, mas mantém relacionamento morno. Problemas, ou soluções, começam com a chegada de Solano (Murilo Rosa), por quem Manuela se apaixona e é correspondida.

Com espírito justiceiro, Solano torna-se o maior inimigo do pai de Manuela, por não admitir as maldades do fazendeiro com a população local. Max fez fortuna explorando garimpeiros de cristal, montou serraria clandestina e desmata a região. Manuela, no entanto, tem outra visão do amado pai. Quando Solano tenta revelar o mau caratismo de Max, a mocinha ficará em dúvida. "Ela vai atrás para saber se ele está falando a verdade".

LENDAS
O grande desafio de Solano, o herói da novela, é viver contra o próprio destino. Sua família é vítima de maldição indígena desde 1845, quando uma ascendente ‘roubou' um índio de sua mulher. Desde então, todos os homens do clã morrem prematuramente às margens do Rio Araguaia.

Por isso, a avó de Solano, Antoninha (Regina Duarte), entregou o filho, Fernando (Edson Celulari), à amiga Mariquita (Laura Cardoso), para que a criança fosse criada bem longe dali.

Anos depois, Fernando e seu filho, Solano, vão ao Araguaia conhecer as origens e Antoninha, mãe e avó, respectivamente. Em seu leito de morte, ela pede que saiam da região, antes que a maldição se cumpra. Tarde demais. Na véspera da partida, Fernando morre na cama, deixando a mulher, a sedutora Estela (Cléo Pires), que depois vai se envolver com Solano, completando o quadrado amoroso.

GIRASSOL
Disposto a desafiar sua sina, Solano segue no Araguaia, onde se sensibiliza pelo sofrimento do povo, vítima do tirano Max. Solano mobiliza a população para criar a cidade cooperativista Girassol, que representará a paz da comunidade e o início de uma batalha com o pai de sua amada.


‘HD' estreia na faixa das seis
Araguaia chega para revolucionar. O motivo é que será a primeira novela das seis da TV Globo exibida em HD (High Definition), que oferece melhor qualidade de imagem e som. Segundo a emissora, daqui para frente, todo conteúdo de teledramaturgia será em alta definição.

A faixa das seis era a única de novelas ainda não produzida em HD. A das oito foi a primeira beneficiada com a tecnologia, com início em Duas Caras, que estreou em outubro de 2007. A atual trama das sete, Ti-ti-ti, iniciou a exibição em HD no horário.

Para visualizar em alta definição, no entanto, o telespectador precisa ter conversor digital ou aparelho de televisão com o equipamento embutido, além de antena de UHF em ambos os casos.

A alta definição faz a diferença nos mínimos detalhes, demandando, inclusive, adaptação da produção. Técnicas de maquiagem, por exemplo, foram pensadas levando-se em conta a tecnologia das imagens. Responsável pela equipe de caracterização, Marlene Moura espalha bem a base, suavizando e dando brilho à pele. Tudo para conseguir ótimo efeito em HD. O grande desafio foi envelhecer a atriz Regina Duarte, que está irreconhecível. A personagem, a fazendeira Antoninha, morrerá no primeiro capítulo.

PRODUÇÃO
Nos bastidores, a complexidade de produzir cada capítulo. As gravações tiveram início no dia 29 de junho no distrito goiano de Luis Alves, às margens do rio Araguaia. Telespectadores nem imaginam que o diretor, Marcos Schechtman, e o gerente de produção, Rodrigo Tapias, passaram dez horas percorrendo o rio em busca da melhor locação.

Cem profissionais foram do Rio para Goiás. Nas bagagens, cinco toneladas de equipamento de engenharia, produção de arte e cenografia, além de 20 malas de figurino.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;