Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Tucanos vão escolher por voto o líder na Assembléia


Nicolas Tamasauskas
Do Diário do Grande ABC

30/03/2007 | 07:05


A bancada tucana na Assembléia Legislativa se reúne na próxima terça-feira para definir o nome de seu líder na Casa. Último partido a fazer a indicação para o posto, o PSDB deve escolher por voto entre Mauro Bragatto e João Caramez, esse com mais chances entre os 24 representantes da legenda.

Parlamentares falam sem muito entusiasmo nem consenso. “A bancada irá se reunir e definir. Ainda pode haver a solução de consenso”, diz Orlando Morando (São Bernardo).

A novela da indicação dos tucanos começou antes do início da atual legislatura e chegou a reproduzir uma disputa antiga e que deve voltar a acontecer no ano que vem, na eleição para a Prefeitura de São Paulo. Partidários do governador José Serra se alinham a Bragatto e Caramez. Os aliados do ex-governador Geraldo Alckmin tinham como preferência Pedro Tobias. Só que no último final de semana, Tobias teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e pediu licença por 30 dias da Assembléia Legislativa.

A proximidade com Alckmin se exemplifica pelo fato de o ex-governador ter usado seu avião para fazer campanha eleitoral na disputa pela Presidência da República.

Segundo um assessor do PSDB, Pedro Tobias tinha os votos assegurados de seis dos 24 parlamentares. Nesta semana, ele recebeu a visita de Bruno Covas em sua casa, em Bauru, no Interior paulista.

“O partido é maduro o suficiente para não rachar se a definição for no voto”, acredita Caramez. O parlamentar vem convencendo colegas há duas semanas a escolher seu nome. “Estou otimista.”

O Diário procurou os outros dois candidatos para falar sobre o assunto. Segundo a assessoria de Tobias, ele ainda se recupera do acidente e não dá entrevistas. Informou que o deputado não retirou oficialmente seu nome da disputa. Bragatto não foi localizado.

João Caramez rechaçou a idéia de divisão na bancada entre partidários de Alckmin e Serra. “Isso é coisa da oposição, que fala de fora e não conhece o partido.”

“O que não percebem é que o PSDB tem uma série de lideranças no Estado”, diz Caramez. Além de Alckmin e Serra, ele cita os deputados federais Paulo Renato de Souza, José Anibal e Emanuel Fernandes. “Não há disputa entre deputados estaduais ligados a uma ou outra corrente.”

A demora na indicação do líder tucano vinha atrasando discussões na Assembléia, como a composição das comissões permanentes e a definição de prazos de votação de projetos. Desde terça-feira passada a bancada é comandada interinamente por Celso Giglio.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tucanos vão escolher por voto o líder na Assembléia

Nicolas Tamasauskas
Do Diário do Grande ABC

30/03/2007 | 07:05


A bancada tucana na Assembléia Legislativa se reúne na próxima terça-feira para definir o nome de seu líder na Casa. Último partido a fazer a indicação para o posto, o PSDB deve escolher por voto entre Mauro Bragatto e João Caramez, esse com mais chances entre os 24 representantes da legenda.

Parlamentares falam sem muito entusiasmo nem consenso. “A bancada irá se reunir e definir. Ainda pode haver a solução de consenso”, diz Orlando Morando (São Bernardo).

A novela da indicação dos tucanos começou antes do início da atual legislatura e chegou a reproduzir uma disputa antiga e que deve voltar a acontecer no ano que vem, na eleição para a Prefeitura de São Paulo. Partidários do governador José Serra se alinham a Bragatto e Caramez. Os aliados do ex-governador Geraldo Alckmin tinham como preferência Pedro Tobias. Só que no último final de semana, Tobias teve um AVC (Acidente Vascular Cerebral) e pediu licença por 30 dias da Assembléia Legislativa.

A proximidade com Alckmin se exemplifica pelo fato de o ex-governador ter usado seu avião para fazer campanha eleitoral na disputa pela Presidência da República.

Segundo um assessor do PSDB, Pedro Tobias tinha os votos assegurados de seis dos 24 parlamentares. Nesta semana, ele recebeu a visita de Bruno Covas em sua casa, em Bauru, no Interior paulista.

“O partido é maduro o suficiente para não rachar se a definição for no voto”, acredita Caramez. O parlamentar vem convencendo colegas há duas semanas a escolher seu nome. “Estou otimista.”

O Diário procurou os outros dois candidatos para falar sobre o assunto. Segundo a assessoria de Tobias, ele ainda se recupera do acidente e não dá entrevistas. Informou que o deputado não retirou oficialmente seu nome da disputa. Bragatto não foi localizado.

João Caramez rechaçou a idéia de divisão na bancada entre partidários de Alckmin e Serra. “Isso é coisa da oposição, que fala de fora e não conhece o partido.”

“O que não percebem é que o PSDB tem uma série de lideranças no Estado”, diz Caramez. Além de Alckmin e Serra, ele cita os deputados federais Paulo Renato de Souza, José Anibal e Emanuel Fernandes. “Não há disputa entre deputados estaduais ligados a uma ou outra corrente.”

A demora na indicação do líder tucano vinha atrasando discussões na Assembléia, como a composição das comissões permanentes e a definição de prazos de votação de projetos. Desde terça-feira passada a bancada é comandada interinamente por Celso Giglio.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;