Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Ka preserva racionalidade

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Wagner Oliveira
do Diário do Grande ABC

06/07/2011 | 07:00


Um dos veículos com proposta mais urbana do mercado nacional, o Ford Ka chega reestilizado às concessionárias neste mês já na linha 2012, além de contar com a nova versão Sport 1.6.

Caracterizado pela racionalidade, as inovações deixaram o hatch em sintonia com outros modelos produzidos pela Ford no Brasil, como o Fiesta.

Incorporada ao para-choque, a grade inferior frontal ganhou formato trapezoidal. Os faróis estão maiores e escurecidos. As lanternas também receberam novos contornos. Os recursos buscam dar a impressão de movimento mesmo quando o carro está parado.

O problema é que a inspiração vem de uma linha nacional Ford que já está um tanto grisalha. Com isso, a impressão é que as mudanças do Ka já chegam com certo atraso.

Mas, racional que é, a Ford não pensa assim. Inclusive não foi desta vez que a fábrica apostou numa versão quatro portas para o modelo que é produzido em São Bernardo.

A direção da montadora considera que o Ka duas portas, que, em 2008, se desvencilhou do modelo fabricado na Europa para atender às necessidades do consumidor local, cumpre sua missão mercadológica.

Com 90 mil unidades emplacadas por ano no Brasil, representa 20% das vendas da Ford ou 30% do seu subsegmento. Se mantiver essa vitalidade nas vendas, a revitalização já terá valido a pena.

Apesar do abuso de plástico na parte interna, os contornos de porta e painel conseguem suavizar o tom espartano que o uso desse material costuma produzir no habitáculo.

O painel conta com mostradores de fácil visualização. A nova padronagem dos tecidos dos bancos conseguiu produzir efeito mais agradável, tanto no tato quanto no visual.

O Ka é duro. A suspensão é calibrada para produzir esse efeito, que, segundo os engenheiros da Ford, deixam o carro com a direção mais firme. O volante obedece rapidamente aos comandos.

Para reduzir as vibrações internas, a suspensão traseira passa a contar com isolamento acústico similar ao do Focus, que tem molas e borrachas reforçadas. Ajuste no desenho do novo para-choque dianteiro trouxe ganho no coeficiente aerodinâmico. Com isso, além de reduzir o consumo na estrada, a velocidade máxima foi aumentada para 162 km/h (etanol) e 160 km/h (gasolina) no modelo 1.0.

Com a versão de entrada cotada a partir de R$ 24,5 mil, o Ka oferece até 11 opções de conteúdo. A Fly (R$ 26,9 mil a R$ 27,9 mil) oferece de série travas e vidros elétricos, além da direção hidráulica como opcional.

Já a Pulse (R$ 29,9 mil a R$ 31,9 mil) conta de série com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos. O Ka Sport (R$ 35,9 mil) é completo. A única opção é o air bag duplo - acresce R$ 1.000 ao preço final.

Faixas, adornos e interior diferenciam versão sport 1.6

Alguém pensou que os adesivos externos do novo Ka Sport 1.6 pudessem ser apenas um kit. Mas não. Exclusivos, esse apliques são destaque da versão com aspectos esportivos criada para aproveitar a natureza da suspensão mais dura do hatch.

A solução das faixas que vão da tampa traseira até o capô, passando pelo teto, agradou alguns, principalmente quando criam contraste entre as cores - o Sport está disponível em fundo branco, preto, laranja e verde, entre outras. Mas há quem ache o gosto duvidoso.

"As faixas foram inspiradas no Mustang. Elas dão personalidade ao Ka Sport", aposta João Marcos Ramos, designer-chefe da Ford, que aposta em 5% no mix das vendas do modelo esportivo.

O Ka Sport passa a ser a única versão disponível na linha com motorização 1.6. A Sport conta ainda com spoiler dianteiro e saias laterais na cor do veículo. As rodas são de liga leve de 15 polegadas. A traseira traz aerofólio e spoiler.

Cotado a R$ 35,9 mil, o Ford Ka Sport também recebeu tratamento diferenciado no interior. Os bancos do tipo concha vêm com tecidos exclusivos em dois tons (preto e cinza) e o logotipo Sport bordado nos encostos dianteiros. O volante é esportivo na versão sem air bag. Os mostradores trazem grafismo exclusivo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ka preserva racionalidade

Wagner Oliveira
do Diário do Grande ABC

06/07/2011 | 07:00


Um dos veículos com proposta mais urbana do mercado nacional, o Ford Ka chega reestilizado às concessionárias neste mês já na linha 2012, além de contar com a nova versão Sport 1.6.

Caracterizado pela racionalidade, as inovações deixaram o hatch em sintonia com outros modelos produzidos pela Ford no Brasil, como o Fiesta.

Incorporada ao para-choque, a grade inferior frontal ganhou formato trapezoidal. Os faróis estão maiores e escurecidos. As lanternas também receberam novos contornos. Os recursos buscam dar a impressão de movimento mesmo quando o carro está parado.

O problema é que a inspiração vem de uma linha nacional Ford que já está um tanto grisalha. Com isso, a impressão é que as mudanças do Ka já chegam com certo atraso.

Mas, racional que é, a Ford não pensa assim. Inclusive não foi desta vez que a fábrica apostou numa versão quatro portas para o modelo que é produzido em São Bernardo.

A direção da montadora considera que o Ka duas portas, que, em 2008, se desvencilhou do modelo fabricado na Europa para atender às necessidades do consumidor local, cumpre sua missão mercadológica.

Com 90 mil unidades emplacadas por ano no Brasil, representa 20% das vendas da Ford ou 30% do seu subsegmento. Se mantiver essa vitalidade nas vendas, a revitalização já terá valido a pena.

Apesar do abuso de plástico na parte interna, os contornos de porta e painel conseguem suavizar o tom espartano que o uso desse material costuma produzir no habitáculo.

O painel conta com mostradores de fácil visualização. A nova padronagem dos tecidos dos bancos conseguiu produzir efeito mais agradável, tanto no tato quanto no visual.

O Ka é duro. A suspensão é calibrada para produzir esse efeito, que, segundo os engenheiros da Ford, deixam o carro com a direção mais firme. O volante obedece rapidamente aos comandos.

Para reduzir as vibrações internas, a suspensão traseira passa a contar com isolamento acústico similar ao do Focus, que tem molas e borrachas reforçadas. Ajuste no desenho do novo para-choque dianteiro trouxe ganho no coeficiente aerodinâmico. Com isso, além de reduzir o consumo na estrada, a velocidade máxima foi aumentada para 162 km/h (etanol) e 160 km/h (gasolina) no modelo 1.0.

Com a versão de entrada cotada a partir de R$ 24,5 mil, o Ka oferece até 11 opções de conteúdo. A Fly (R$ 26,9 mil a R$ 27,9 mil) oferece de série travas e vidros elétricos, além da direção hidráulica como opcional.

Já a Pulse (R$ 29,9 mil a R$ 31,9 mil) conta de série com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros e travas elétricos. O Ka Sport (R$ 35,9 mil) é completo. A única opção é o air bag duplo - acresce R$ 1.000 ao preço final.

Faixas, adornos e interior diferenciam versão sport 1.6

Alguém pensou que os adesivos externos do novo Ka Sport 1.6 pudessem ser apenas um kit. Mas não. Exclusivos, esse apliques são destaque da versão com aspectos esportivos criada para aproveitar a natureza da suspensão mais dura do hatch.

A solução das faixas que vão da tampa traseira até o capô, passando pelo teto, agradou alguns, principalmente quando criam contraste entre as cores - o Sport está disponível em fundo branco, preto, laranja e verde, entre outras. Mas há quem ache o gosto duvidoso.

"As faixas foram inspiradas no Mustang. Elas dão personalidade ao Ka Sport", aposta João Marcos Ramos, designer-chefe da Ford, que aposta em 5% no mix das vendas do modelo esportivo.

O Ka Sport passa a ser a única versão disponível na linha com motorização 1.6. A Sport conta ainda com spoiler dianteiro e saias laterais na cor do veículo. As rodas são de liga leve de 15 polegadas. A traseira traz aerofólio e spoiler.

Cotado a R$ 35,9 mil, o Ford Ka Sport também recebeu tratamento diferenciado no interior. Os bancos do tipo concha vêm com tecidos exclusivos em dois tons (preto e cinza) e o logotipo Sport bordado nos encostos dianteiros. O volante é esportivo na versão sem air bag. Os mostradores trazem grafismo exclusivo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;