Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Woody Allen versão palco

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sara Saar
Do Diário do Grande ABC

06/07/2011 | 07:04


Longe dos palcos desde a peça 'Quem Tem Medo de Virgínia Woolf' (2000), Fábio Assunção concentrou sua energia na TV e no cinema. Hoje se diz tranquilo com o retorno ao tablado. "Considero teatro um grande acontecimento porque não é algo que faço toda hora, mas quando faço é com muito prazer", explica.

Ao lado do veterano Norival Rizzo e da atriz e bailarina Carol Mariottini, Assunção protagoniza 'Adultérios', que estreia na sexta no Teatro Shopping Frei Caneca, em São Paulo. Trata-se da primeira adaptação brasileira de 'Central Park West', escrito pelo cineasta Woody Allen especificamente para o teatro.

Com direção de Alexandre Reinecke e tradução de Rachel Ripani, a comédia mostra encontro inusitado entre o roteirista de cinema Jim Swain e o mendigo Fred em praça de Nova York, à beira do Rio Hudson. Enquanto Jim espera a amante, a sensual Bárbara, para terminar a relação, Fred se aproxima com assunto trivial até o acusar de ter roubado sua história para escrever o roteiro do novo filme.

Em meio à discussão, Jim e Fred se percebem cada vez mais próximos até que o mendigo se torna conselheiro do roteirista. "Chegamos à conclusão de que o mendigo é o alterego do escritor", afirma Reinecke. "É a mesma pessoa em duas. Enquanto uma cerceia, a outra deixa sair" compara Rizzo. "Fred sabe tudo sobre a vida dele. Vão caindo as fichas. Jim sabe de sua mediocridade profissional e familiar", diz Assunção.

A primeira montagem da peça alternará Rizzo e Assunção na interpretação dos personagens masculinos. "Além de ser desafio para nós três, enriquece a criação dos personagens", considera o diretor. "São personagens complementares. Não é vaidade nossa. Um deles é determinante para o ritmo da peça. Quando invertemos os papeis, o tempo, a energia, o astral do espetáculo também mudam", conta Assunção.

A estreia da comédia coincide com o lançamento no Brasil de outra produção de Allen: o filme 'Meia-Noite em Paris'. Para Reinecke, existe pelo menos uma semelhança. "Os protagonistas são escritores que se acham medianos. A diferença é que isso fica explícito no filme e implícito na peça."

Adultérios - Teatro. No Teatro Shopping Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569, São Paulo. Tel.: 3472-2229. Temporada: 6ª, às 21h30; sáb. às 20h e às 22h; dom., às 19h. Ingr.: R$ 50 (sexta), R$ 70 (sáb.) e R$ 60 (dom.). Até 25 de setembro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Woody Allen versão palco

Sara Saar
Do Diário do Grande ABC

06/07/2011 | 07:04


Longe dos palcos desde a peça 'Quem Tem Medo de Virgínia Woolf' (2000), Fábio Assunção concentrou sua energia na TV e no cinema. Hoje se diz tranquilo com o retorno ao tablado. "Considero teatro um grande acontecimento porque não é algo que faço toda hora, mas quando faço é com muito prazer", explica.

Ao lado do veterano Norival Rizzo e da atriz e bailarina Carol Mariottini, Assunção protagoniza 'Adultérios', que estreia na sexta no Teatro Shopping Frei Caneca, em São Paulo. Trata-se da primeira adaptação brasileira de 'Central Park West', escrito pelo cineasta Woody Allen especificamente para o teatro.

Com direção de Alexandre Reinecke e tradução de Rachel Ripani, a comédia mostra encontro inusitado entre o roteirista de cinema Jim Swain e o mendigo Fred em praça de Nova York, à beira do Rio Hudson. Enquanto Jim espera a amante, a sensual Bárbara, para terminar a relação, Fred se aproxima com assunto trivial até o acusar de ter roubado sua história para escrever o roteiro do novo filme.

Em meio à discussão, Jim e Fred se percebem cada vez mais próximos até que o mendigo se torna conselheiro do roteirista. "Chegamos à conclusão de que o mendigo é o alterego do escritor", afirma Reinecke. "É a mesma pessoa em duas. Enquanto uma cerceia, a outra deixa sair" compara Rizzo. "Fred sabe tudo sobre a vida dele. Vão caindo as fichas. Jim sabe de sua mediocridade profissional e familiar", diz Assunção.

A primeira montagem da peça alternará Rizzo e Assunção na interpretação dos personagens masculinos. "Além de ser desafio para nós três, enriquece a criação dos personagens", considera o diretor. "São personagens complementares. Não é vaidade nossa. Um deles é determinante para o ritmo da peça. Quando invertemos os papeis, o tempo, a energia, o astral do espetáculo também mudam", conta Assunção.

A estreia da comédia coincide com o lançamento no Brasil de outra produção de Allen: o filme 'Meia-Noite em Paris'. Para Reinecke, existe pelo menos uma semelhança. "Os protagonistas são escritores que se acham medianos. A diferença é que isso fica explícito no filme e implícito na peça."

Adultérios - Teatro. No Teatro Shopping Frei Caneca - Rua Frei Caneca, 569, São Paulo. Tel.: 3472-2229. Temporada: 6ª, às 21h30; sáb. às 20h e às 22h; dom., às 19h. Ingr.: R$ 50 (sexta), R$ 70 (sáb.) e R$ 60 (dom.). Até 25 de setembro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;