Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Diadema abre sexta-feira borboletário


Verônica Fraidenraich
Do Diário do Grande ABC

15/09/2005 | 08:07


Diadema ganha sexta-feira o primeiro borboletário homologado pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) da Região Metropolitana de São Paulo. O Borboletário Tropical Conservacionista Laerte Brittes de Oliveira vai funcionar no Jardim Botânico. As 500 borboletas de quatro espécies que inicialmente serão introduzidas no viveiro foram compradas do Sesc Pantanal, no Mato Grosso. Os insetos foram enviados em caixas aclimatadas, por Sedex, no estágio em que a lagarta se encontra no interior do casulo e ainda não sofreu metamorfose para virar borboleta. Muitas, porém, chegaram no ponto de transformação, já saindo do casulo.

No espaço, haverá um viveiro de 187 m² com telas de proteção, onde foram plantadas 30 espécies de plantas que servirão de abrigo, alimento e local para deposição dos ovos. Entre as espécies há árvores de Pau-Brasil e Embaúba, assim como a mata do próprio Jardim Botânico, contribuindo para que as borboletas convivam em seu habitat. O espaço abrigará também um berçário para guardar os ovos até que se transformem em lagartas e criem os casulos.

O secretário de Meio Ambiente do município, Marco Antônio Mroz, diz que a criação do borboletário tem como objetivo preservar as espécies. Em cativeiro, o índice de reprodução dos ovos fica entre 50% e 80%, já que não há predadores, além de oferecer melhores condições climáticas. Na natureza, esse índice é de 3% a 7%. Como um mesmo macho pode fecundar várias fêmeas, a maior parte dos insetos trazidos para o borboletário é do sexo feminino. "São cerca de 70% de fêmeas e 30% de machos", explica Ana Catalan, estagiária de biologia que trabalhará no local. A idéia é introduzir na mata do Jardim Botânico pelo menos 20% das borboletas que nascerem no local.

Educação ambiental – Como a criação do espaço também visa a educação ambiental, todas as visitas serão monitoradas e devem ser agendadas por telefone. Entrarão no máximo 12 pessoas por vez, ficando cerca de 15 minutos no local para apreciar a eclosão das crisálidas, o acasalamento, o vôo dos insetos, o acondicionamento dos ovos, das larvas e dos casulos (pupas).

O secretário de Meio Ambiente diz que o borboletário faz parte de um conjunto de medidas de revitalização do Jardim Botânico, que inclui reforma das estufas, readequação do orquidário, criação do jardim das bromélias e aumento na produção de mudas, entre outras ações.

Jardim Botânico de Diadema – Rua Ipitá, 193, Jardim Inamar. Informações pelo telefone 4059-7600.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;