Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Brasil perde dos EUA e fica com a prata no vôlei feminino na Olimpíada de Tóquio

Cob/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


08/08/2021 | 03:13


De equipe desacreditada por muitos a vice-campeã olímpica. Essa foi a trajetória da seleção brasileira feminina de vôlei nos Jogos de Tóquio. Neste domingo, o time não foi páreo para os Estados Unidos na decisão na Ariake Arena e perdeu por 3 sets a 0 (parciais 25/21, 25/20 e 25/14).

Foi a primeira medalha de prata do vôlei feminino brasileiro. Antes, o Brasil havia conquistado dois bronzes em Atlanta-1996 e Sydney-2000 e dois ouros em Pequim-2008 e Londres-2012.

Depois da decepção nos Jogos do Rio, quando o time caiu nas quartas de final e ficou fora da disputa por medalhas, a seleção teve um ciclo com muitas oscilações. Na última Liga das Nações, em junho, a equipe foi vice-campeã - perdeu a final justamente para os EUA. Aquela campanha renovou as esperanças da seleção, mas o técnico José Roberto Guimarães sempre deixou claro que o Brasil não tinha a mesma qualidade que boa parte dos seus adversários.

No meio dos Jogos Olímpicos, horas antes da semifinal, o time ainda sofreu um baque com a notícia de que Tandara havia sido flagrada em um teste antidoping e teria de voltar imediatamente para o Brasil. Mesmo assim, em uma campanha surpreendente, com muitos pontos ganhos na base da raça, o Brasil chegou invicto à decisão na qual enfrentou um adversário bastante superior tecnicamente.

Com o ouro neste domingo, os Estados Unidos, enfim, conquistaram o primeiro título olímpico no vôlei feminino. Um jejum que durava quase seis décadas, desde que a modalidade passou a fazer parte do programa olímpico, em 1964. As americanas também se vingaram do Brasil, algoz nas decisões dos Jogos de Pequim-2008 e Londres-2012.

Neste domingo, os EUA foram melhores do início ao fim do jogo. As brasileiras pareciam ansiosas, falhando na recepção, o que dificultava a transição para o ataque. Fernanda Garay, por exemplo, pouco conseguiu produzir. Com um jogo bastante agressivo, as americanas seguraram o Brasil e fecharam o primeiro set em 25 a 21.

O panorama da partida continuou na segunda parcial com uma agravante: os Estados Unidos acertaram o bloqueio. Assim, mantiveram a dianteira no placar durante todo o set. Rosamaria, que havia sido um dos destaques da seleção nas quartas de final e na semi, não estava em um dia de muita inspiração e acabou saindo. A entrada de Natália, no entanto, não mudou o jogo. Os EUA continuaram melhor e ganharam por 25 a 20.

Sem conseguir encaixar a defesa, no terceiro set o nervosismo aumentou e o Brasil cometeu erros bobos. Com facilidade, os Estados Unidos dominaram a partida e fecharam o placar em 25 a 14.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;