Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Paulo Serra veta emendas em reforma da Previdência

André Henriques/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Aposentadoria especial para GCMs e regras de transição foram questionadas pela Prefeitura


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

03/08/2021 | 00:10


O prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), encaminhou à Câmara veto a duas emendas aprovadas no âmbito da reforma da Previdência – o projeto foi aprovado antes do recesso parlamentar.

Alteração proposta por Rodolfo Donetti (Cidadania) incluída os guardas-civis municipais na categoria de aposentadorias especiais, alegando que a corporação exercia atividade de risco e que a Constituição Federal assegurava esse direito a integrantes da GCM (Guarda Civil Municipal).

Outra mudança vetada foi sugerida por Carlos Ferreira (PSB) e apontava espécie de regra de transição para os servidores que estiverem a menos de dois anos de se aposentar – exigia somente o cumprimento de metade do tempo faltante para conquistar o benefício.

Sobre a emenda de Donetti, Paulo Serra citou entendimento do ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), que não vê os guardas-civis municipais como agentes de segurança pública, portanto, sem direito a regras diferenciadas de aposentadoria. Também adicionou frase do ministro Dias Toffoli, também do Supremo, em um julgamento, no qual ele diz que “guardas-civis não possuem direito constitucional à aposentadoria especial por exercício de atividade de risco”.

Acerca da alteração proposta por Ferreira, o governo avaliou que a transição impactaria nos estudos aturiais sobre o IPSA (Instituto de Previdência de Santo André).

“A avaliação atuarial anual consiste no estudo técnico, realizado por especialista, pelo qual é mensurado o plano de custeio necessário para cobertura dos compromissos assumidos pelo plano de benefício. Os resultados devem ser encaminhados anualmente à Secretaria de Previdência, vinculada ao Ministério da Fazenda, por meio do DRAA (Demonstrativo de Resultados da Avaliação Atuarial), o qual é a principal ferramenta para monitoramento da situação atuarial do plano”, escreveu Paulo Serra, na justificativa do veto enviada ao Legislativo.

A lei já foi sancionada com os dois itens vetados, mas a Câmara pode derrubar as rejeições do Executivo em votação no plenário. Caso isso aconteça, dois caminhos são traçados. O primeiro é a promulgação das emendas por parte do presidente do Legislativo, Pedrinho Botaro (PSDB). O segundo é a Prefeitura ingressar com Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) na Justiça comum para derrubar a validade das alterações.  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;