Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Em São Caetano, PT busca a recuperação


Do Diário do Grande ABC

29/10/2006 | 23:36


A calmaria no segundo turno da eleição em São Caetano refletiu-se no placar da votação para a eleição presidencial. O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) superou Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na cidade, desafiando as previsões e repetindo a vantagem do primeiro turno.

À exceção das escolas abertas para receberem os eleitores, o domingo eleitoral não se diferenciou de outros dias de descanso dos moradores. Sem filas nos locais de votação, os eleitores votaram rapidamente e, no período da tarde, os servidores dos cartórios já torciam para a hora passar e a apuração dos votos começar.

O processo de votação não teve problemas, com raras exceções. A gerente de vendas Adriana Cristina Saraiva Bresciani saiu do local de votação com uma preocupação: como comprovar a participação na eleição. Adriana votou na Escola Joana Mota, mas seu comprovante foi entregue pelo mesário a outro eleitor.

Ela foi orientada a procurar o cartório eleitoral em busca de um documento equivalente ao recibo de votação. “Isso não é correto. Deveria ter, aqui, algo que comprovasse que eu votei. Estou trabalhando, não posso ir ao cartório hoje.”

Reeleição – Em São Caetano, especialmente, a eleição para a Presidência foi afetada pelas denúncias que envolveram o ex-petista Hamilton Lacerda na tentativa de compra de dossiê contra os tucanos. Domingo, políticos da cidade avaliaram como a reeleição de Lula poderia influenciar no futuro do PT municipal.

“Nós não estamos mortos. Somos firmes e podemos mobilizar a população para as nossas lutas”, defendeu Ricardo Rios, presidente do diretório. Opinião diferente do deputado federal reeleito Ivan Valente (Psol). Para ele, o partido poderia se recuperar, já que Lula terá a máquina do Estado. “Mas, infelizmente, o PT aderiu ao vale-tudo e corre o risco de ter outros casos graves de desvios éticos”, argumentou.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em São Caetano, PT busca a recuperação

Do Diário do Grande ABC

29/10/2006 | 23:36


A calmaria no segundo turno da eleição em São Caetano refletiu-se no placar da votação para a eleição presidencial. O candidato Geraldo Alckmin (PSDB) superou Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na cidade, desafiando as previsões e repetindo a vantagem do primeiro turno.

À exceção das escolas abertas para receberem os eleitores, o domingo eleitoral não se diferenciou de outros dias de descanso dos moradores. Sem filas nos locais de votação, os eleitores votaram rapidamente e, no período da tarde, os servidores dos cartórios já torciam para a hora passar e a apuração dos votos começar.

O processo de votação não teve problemas, com raras exceções. A gerente de vendas Adriana Cristina Saraiva Bresciani saiu do local de votação com uma preocupação: como comprovar a participação na eleição. Adriana votou na Escola Joana Mota, mas seu comprovante foi entregue pelo mesário a outro eleitor.

Ela foi orientada a procurar o cartório eleitoral em busca de um documento equivalente ao recibo de votação. “Isso não é correto. Deveria ter, aqui, algo que comprovasse que eu votei. Estou trabalhando, não posso ir ao cartório hoje.”

Reeleição – Em São Caetano, especialmente, a eleição para a Presidência foi afetada pelas denúncias que envolveram o ex-petista Hamilton Lacerda na tentativa de compra de dossiê contra os tucanos. Domingo, políticos da cidade avaliaram como a reeleição de Lula poderia influenciar no futuro do PT municipal.

“Nós não estamos mortos. Somos firmes e podemos mobilizar a população para as nossas lutas”, defendeu Ricardo Rios, presidente do diretório. Opinião diferente do deputado federal reeleito Ivan Valente (Psol). Para ele, o partido poderia se recuperar, já que Lula terá a máquina do Estado. “Mas, infelizmente, o PT aderiu ao vale-tudo e corre o risco de ter outros casos graves de desvios éticos”, argumentou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;