Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Em discurso na Cúpula do Clima, Bolsonaro promete neutralidade climática até 2050

Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ao todo 40 países participam de encontro virtual que antecede a Conferência sobre o Clima prevista para novembro


Do dgabc.com.br
Com Agências

22/04/2021 | 11:15


O presidente Jair Bolsonaro participou nesta quinta-feira (22) da Cúpula do Clima. O evento virtual, que vai até amanhã, foi organizado pelo governo dos Estados dos Unidos. Bolsonaro participou por videoconferência, do Palácio do Planalto.

Foram convidados 40 países para o encontro. A cúpula antecede a 26ª Conferência sobre o Clima, a Cop26, que será realizada em novembro em Glasgow, na Escócia. Um dos principais objetivos é impedir a elevação da temperatura média do planeta acima de 1,5 grau neste século.

Entre outras coisas, Bolsonaro prometeu adotar medidas que reduzam as emissões de gases e pediu justa remuneração por serviços ambientais prestados pelos biomas brasileiros ao planeta. Segundo ele, é importante conciliar a preservação ambiental na Amazônia com o desenvolvimento econômico legal e ainda disse que é preciso contemplar os interesses de todos os brasileiros, incluindo indígenas e comunidades tradicionais.

Em seu discurso, o presidente também afirmou que o Brasil está aberto à cooperação internacional e prometeu que o país atingirá a neutralidade climática até 2050. "Entre as medidas necessárias para tanto, destaco aqui o compromisso de eliminar o desmatamento ilegal até 2030 com a plena e pronta aplicação do nosso código florestal. Com isso reduziremos em quase 50% nossas emissões até essa data", completou.

Apesar disso, Bolsonaro ignorou no discurso as informações publicadas pelo Inpe (Instituto de Pesquisas Espaciais) que alertou sobre o desmatamento ilegal na Amazônia, que bateu recorde em março. Ao todo, conforme a entidade, foram 367, km².
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Em discurso na Cúpula do Clima, Bolsonaro promete neutralidade climática até 2050

Ao todo 40 países participam de encontro virtual que antecede a Conferência sobre o Clima prevista para novembro

Do dgabc.com.br
Com Agências

22/04/2021 | 11:15


O presidente Jair Bolsonaro participou nesta quinta-feira (22) da Cúpula do Clima. O evento virtual, que vai até amanhã, foi organizado pelo governo dos Estados dos Unidos. Bolsonaro participou por videoconferência, do Palácio do Planalto.

Foram convidados 40 países para o encontro. A cúpula antecede a 26ª Conferência sobre o Clima, a Cop26, que será realizada em novembro em Glasgow, na Escócia. Um dos principais objetivos é impedir a elevação da temperatura média do planeta acima de 1,5 grau neste século.

Entre outras coisas, Bolsonaro prometeu adotar medidas que reduzam as emissões de gases e pediu justa remuneração por serviços ambientais prestados pelos biomas brasileiros ao planeta. Segundo ele, é importante conciliar a preservação ambiental na Amazônia com o desenvolvimento econômico legal e ainda disse que é preciso contemplar os interesses de todos os brasileiros, incluindo indígenas e comunidades tradicionais.

Em seu discurso, o presidente também afirmou que o Brasil está aberto à cooperação internacional e prometeu que o país atingirá a neutralidade climática até 2050. "Entre as medidas necessárias para tanto, destaco aqui o compromisso de eliminar o desmatamento ilegal até 2030 com a plena e pronta aplicação do nosso código florestal. Com isso reduziremos em quase 50% nossas emissões até essa data", completou.

Apesar disso, Bolsonaro ignorou no discurso as informações publicadas pelo Inpe (Instituto de Pesquisas Espaciais) que alertou sobre o desmatamento ilegal na Amazônia, que bateu recorde em março. Ao todo, conforme a entidade, foram 367, km².
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;