Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Lula e Bumlai depõem a Moro em S.Bernardo

Ex-presidente e pecuarista foram ouvidos pelo juiz em videoconferência como testemunhas de Cunha


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

01/12/2016 | 07:00


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o pecuarista José Carlos Bumlai prestaram depoimento na tarde de ontem, no prédio da Justiça Federal de São Bernardo, ao juiz federal e responsável pela Operação Lava Jato, Sérgio Moro. Por videoconferência, ambos foram ouvidos como testemunhas de defesa do ex-dirigente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em ação penal que o acusa sobre recebimento de propina em contrato de exploração de petróleo no Benin, na África, além de utilização de contas na Suíça para lavar o dinheiro.

Além de Moro, participaram do ato, advogados de Cunha e promotores do MPF (Ministério Público Federal) em Curitiba, no Paraná. A Lula os questionamentos permearam, em especial, sobre nomeações de cargos da Petrobras. O ex-presidente e o pecuarista chegaram ao prédio da Justiça Federal acompanhados por seus advogados e permaneceram no local por aproximadamente uma hora, com meia hora de diferença.

Os dois evitaram falar com jornalistas, que acompanhavam a movimentação na parte externa do prédio, situado na Avenida Senador Vergueiro. Lula, inclusive, entrou e saiu do local pela garagem em veículo insufilmado. O petista chegou às 17h na sede. Foi confirmada a presença de dois advogados e mais um segurança no automóvel. Já Bumlai acessou pela entrada principal, mas permaneceu calado. Esta foi a primeira vez em que ocorreu contato direto entre Lula e Moro, embora em espaços diferentes.

Cunha foi preso por determinação de Moro em 19 de outubro, dias depois de ter tido mandato cassado na Câmara. Além do ex-presidente e do pecuaristas, os advogados do peemedebista arrolaram o presidente Michel Temer (PMDB) também como testemunha. Ele irá responder questionamentos por escrito.


CLIMA
O prédio da Justiça Federal em São Bernardo fica em uma das principais vias da cidade. Por volta das 13h, as proximidades do prédio receberam a presença de militantes petistas, dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e de alguns políticos locais como o deputado estadual e presidente do PT de Santo André, Luiz Turco.

“Nós, do PT, nos mobilizamos mais como um ato de solidariedade, por ser mais um momento difícil ao ex-presidente. Não vejo como prejuízo à imagem, porque é apenas testemunha, mas achamos importante dar uma força”, pontuou Turco. Outras figuras foram os vereadores José Ferreira, de São Bernardo, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho, de Diadema, e o ex-prefeiturável de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira. Por todo o período, o clima foi tranquilo.

A concentração chegou a ter perto de 100 pessoas, em determinadas ocasiões da tarde. No momento da saída de Lula do prédio, no entanto, apenas 20 simpatizantes estavam no local. Como protestos, eles entoavam gritos de “Fora, Temer”. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lula e Bumlai depõem a Moro em S.Bernardo

Ex-presidente e pecuarista foram ouvidos pelo juiz em videoconferência como testemunhas de Cunha

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

01/12/2016 | 07:00


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o pecuarista José Carlos Bumlai prestaram depoimento na tarde de ontem, no prédio da Justiça Federal de São Bernardo, ao juiz federal e responsável pela Operação Lava Jato, Sérgio Moro. Por videoconferência, ambos foram ouvidos como testemunhas de defesa do ex-dirigente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em ação penal que o acusa sobre recebimento de propina em contrato de exploração de petróleo no Benin, na África, além de utilização de contas na Suíça para lavar o dinheiro.

Além de Moro, participaram do ato, advogados de Cunha e promotores do MPF (Ministério Público Federal) em Curitiba, no Paraná. A Lula os questionamentos permearam, em especial, sobre nomeações de cargos da Petrobras. O ex-presidente e o pecuarista chegaram ao prédio da Justiça Federal acompanhados por seus advogados e permaneceram no local por aproximadamente uma hora, com meia hora de diferença.

Os dois evitaram falar com jornalistas, que acompanhavam a movimentação na parte externa do prédio, situado na Avenida Senador Vergueiro. Lula, inclusive, entrou e saiu do local pela garagem em veículo insufilmado. O petista chegou às 17h na sede. Foi confirmada a presença de dois advogados e mais um segurança no automóvel. Já Bumlai acessou pela entrada principal, mas permaneceu calado. Esta foi a primeira vez em que ocorreu contato direto entre Lula e Moro, embora em espaços diferentes.

Cunha foi preso por determinação de Moro em 19 de outubro, dias depois de ter tido mandato cassado na Câmara. Além do ex-presidente e do pecuaristas, os advogados do peemedebista arrolaram o presidente Michel Temer (PMDB) também como testemunha. Ele irá responder questionamentos por escrito.


CLIMA
O prédio da Justiça Federal em São Bernardo fica em uma das principais vias da cidade. Por volta das 13h, as proximidades do prédio receberam a presença de militantes petistas, dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC e de alguns políticos locais como o deputado estadual e presidente do PT de Santo André, Luiz Turco.

“Nós, do PT, nos mobilizamos mais como um ato de solidariedade, por ser mais um momento difícil ao ex-presidente. Não vejo como prejuízo à imagem, porque é apenas testemunha, mas achamos importante dar uma força”, pontuou Turco. Outras figuras foram os vereadores José Ferreira, de São Bernardo, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho, de Diadema, e o ex-prefeiturável de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira. Por todo o período, o clima foi tranquilo.

A concentração chegou a ter perto de 100 pessoas, em determinadas ocasiões da tarde. No momento da saída de Lula do prédio, no entanto, apenas 20 simpatizantes estavam no local. Como protestos, eles entoavam gritos de “Fora, Temer”. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;