Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Escobar e seu juízo final

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Segunda temporada de 'Narcos' estreia hoje
na Netflix e mostra derrocada de colombiano


Miriam Gimenes

02/09/2016 | 05:41


Com ele o papo era reto: Pablo Emilio Escobar Gaviria (1949-1993) disse certa vez para o filho Juan Pablo Escobar que quando amarrasse o cadarço do tênis era que o negócio tinha ficado feio. E, no último episódio da primeira temporada da série Narcos, produção da Netflix, antes de fugir de La Catedral – prisão com ares de mansão – ele o fez. O resultado de sua ação poderá ser visto a partir de hoje, às 16h01, na estreia da segunda temporada, que será dividida em dez capítulos.
Quem teve a oportunidade de ver o início da história acompanhou a construção, capítulo a capítulo, do império de Escobar (interpretado por Wagner Moura, que foi indicado ao Globo de Ouro pelo personagem). Agora, o espectador vai conhecer a derrocada desse castelo, que contrariando a ordem natural das coisas, começa em cima de um telhado de Medellín. Foi lá onde Pablo recebeu o tiro fatal e acabou sua história da forma como sempre previu. “É melhor um túmulo na Colômbia que uma cela nos Estados Unidos.” A cena, no entanto, não pôde ser filmada no local de sua morte original porque o proprietário do edifício onde ele foi abatido não quis cedê-lo aos produtores da série, que usaram casas próximas para recriar os últimos segundos de vida do protagonista.
As filmagens, feitas na Colômbia, apresentam um Pablo mais introspectivo, temeroso – algo que não mostrou na primeira temporada – e sanguinário; as consequências da fuga na vida de sua família, que chegou até a passar fome, e a sede dos agentes Javier Peña (Pedro Pascal) e Steve Murphy (Boyd Holbrook) pela ‘cabeça’ do traficante. Moura também melhorou o sotaque colombiano, que foi bastante criticado na primeira fase.
O ponto central da trama é a ascensão do cartel de Calí liderado pelos irmãos Rodríguez Orejuela. E como a história do tráfico na Colômbia continuou sem Escobar, há rumores de que a série, mesmo com a morte dele, possa ter uma terceira temporada. É esperar para ver.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Escobar e seu juízo final

Segunda temporada de 'Narcos' estreia hoje
na Netflix e mostra derrocada de colombiano

Miriam Gimenes

02/09/2016 | 05:41


Com ele o papo era reto: Pablo Emilio Escobar Gaviria (1949-1993) disse certa vez para o filho Juan Pablo Escobar que quando amarrasse o cadarço do tênis era que o negócio tinha ficado feio. E, no último episódio da primeira temporada da série Narcos, produção da Netflix, antes de fugir de La Catedral – prisão com ares de mansão – ele o fez. O resultado de sua ação poderá ser visto a partir de hoje, às 16h01, na estreia da segunda temporada, que será dividida em dez capítulos.
Quem teve a oportunidade de ver o início da história acompanhou a construção, capítulo a capítulo, do império de Escobar (interpretado por Wagner Moura, que foi indicado ao Globo de Ouro pelo personagem). Agora, o espectador vai conhecer a derrocada desse castelo, que contrariando a ordem natural das coisas, começa em cima de um telhado de Medellín. Foi lá onde Pablo recebeu o tiro fatal e acabou sua história da forma como sempre previu. “É melhor um túmulo na Colômbia que uma cela nos Estados Unidos.” A cena, no entanto, não pôde ser filmada no local de sua morte original porque o proprietário do edifício onde ele foi abatido não quis cedê-lo aos produtores da série, que usaram casas próximas para recriar os últimos segundos de vida do protagonista.
As filmagens, feitas na Colômbia, apresentam um Pablo mais introspectivo, temeroso – algo que não mostrou na primeira temporada – e sanguinário; as consequências da fuga na vida de sua família, que chegou até a passar fome, e a sede dos agentes Javier Peña (Pedro Pascal) e Steve Murphy (Boyd Holbrook) pela ‘cabeça’ do traficante. Moura também melhorou o sotaque colombiano, que foi bastante criticado na primeira fase.
O ponto central da trama é a ascensão do cartel de Calí liderado pelos irmãos Rodríguez Orejuela. E como a história do tráfico na Colômbia continuou sem Escobar, há rumores de que a série, mesmo com a morte dele, possa ter uma terceira temporada. É esperar para ver.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;