Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Polícia apreende outro menor que participou da morte de Cosmo

Orlando Filho/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Adolescente de 16 anos não ofereceu resistência e ratificou versão do assassinato do vereador de Sto.André; ele deve responder por latrocínio


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

14/03/2015 | 07:00


A Polícia Civil apreendeu ontem o menor M.V.L., 16 anos, que confessou participação no assassinato do vereador de Santo André Cosmo Rodrigues Cardoso, o Cosmo do Gás (PDT), ocorrido na segunda-feira. Ele não tinha antecedentes criminais.

Na quarta-feira, já havia sido apreendido outro menor, 17 anos, que admitiu ter sido o responsável pelo disparo que matou Cosmo do Gás. O terceiro integrante a participar do crime, que já foi identificado pela polícia e tem 20 anos, segue foragido. Quarto elemento, que não estava na residência na hora do disparo, foi detido por ser suspeito de ajudar na articulação do crime.

Segundo o chefe de investigação do 6º DP (Jardim do Estádio), Flávio Montanaro, a apreensão de M.V.L. ocorreu por volta das 9h de ontem, dentro do Sítio dos Vianas, nas proximidades da residência do parlamentar. O menor teria sido identificado na noite de quinta-feira após ficar foragido. “Estávamos monitorando a localidade até conseguirmos identificar e capturar o suspeito, que não mostrou resistência”, relatou Montanaro.

“Em casos que envolvem menores, não há necessidade de minuta minuciosa quanto à participação no ato criminoso. Mas o adolescente estava ciente do que estava fazendo e o seu depoimento mostrou concordância com os demais já coletados, o que facilita o trabalho”, argumentou a promotora da infância e juventude de Santo André, Rosinei Saikali.

Após apreensão, o menor será encaminhado para uma unidade provisória da Fundação Casa. A promotora afirmou que recomendou à Corte que ele fique detido até data do julgamento. “Com o primeiro menor essa recomendação foi atendida. Conforme o Estatuto da Criança e Adolescente, os julgamentos devem ocorrer em 45 dias”, complementou.

Em relação à possibilidade de punição a ser aplicada, Rosinei alegou que o crime deve ser classificado como latrocínio (roubo seguido de morte), considerado grave. “Nesse caso é gravíssimo e deve ocorrer prisão máxima, que na Fundação Casa é até os 21 anos, quando se completa a maioridade total”, discorreu.

Ontem, o delegado titular do 6º DP, Adilson de Lima, revelou que o assassinato de Cosmo aconteceu após os três envolvidos terem acreditado em boato que circulava pelo Sítio dos Vianas. A informação indicava que R$ 300 mil, em espécie, estavam sob posse do vereador.

O valor correspondia à emenda proposta por Cosmo para que a administração municipal efetuasse reforma do PA (Pronto Atendimento) da Vila Luzita, que atende ao Sítio dos Vianas. O recurso, porém, é administrado pelo Executivo. A emenda representa só a garantia do investimento.
(Colaborou Gustavo Pinchiaro)



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;