Fechar
Publicidade

Nacional

Publicado em quinta-feira, 8 de novembro de 2012 às 19:55 Histórico

PF suspende operação depois de confronto em MT

Depois da ação desastrosa na quarta-feira (7) na Aldeia Teles Pires, na região de Alta Floresta (812 km de Cuiabá), que deixou o saldo de um morto, quatro pessoas feridas e índios desaparecidos, a Polícia Federal (PF) informou através de nota que decidiu "suspender temporariamente" a Operação Eldorado deflagrada na terça-feira para acabar com extração ilegal de ouro em terras indígenas dos Kayabi e Munduruku, norte de Mato Grosso (Matupá e Alta Floresta), Pará e Rondônia - e na comercialização fraudulenta do minério no sistema financeiro.

 

Na tarde desta quinta-feira (8), o Ministério Público Federal do Pará encaminhou ofício à presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marta Maria do Amaral Azevedo, e ao superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso, Cesar Augusto Martinez, solicitando informações sobre o que ocorreu entre policiais e indígenas. Nos ofícios encaminhados por fax nesta quinta, o procurador da República Rodrigo Timóteo da Costa e Silva pede, com a máxima urgência, que os representantes dos dois órgãos prestem as informações oficiais atualizadas sobre a situação na região e as providências adotadas.

 

Depois do confronto da quarta, dezessete índios ficaram detidos e passaram a noite no Batalhão da Polícia Militar de Alta Floresta. Na manhã desta quinta foram levados para a cidade de Sinop, onde tem a delegacia mais próxima da PF, para prestar depoimento ao delegado federal Antônio Carlos Moriel Sanchez, responsável pela a ação e que levou a flechada de raspão no momento do conflito. Segundo o pai do índio morto, teria sido este delegado que atirou em seu filho.

 

O coordenador da Funai em Alta Floresta, Clóvis Nunes, contou que o "pai viu no momento em que o filho foi atingido por disparos de arma de fogo quando estava no Rio Teles Pires e sumiu". O corpo foi encontrado boiando nas águas do Teles Pires pelos próprios Munduruku no fim da manhã desta quinta. Em nota, a PF diz que na quarta, após ação no rio Teles Pires - área de preservação ambiental - para combater crimes de sonegação fiscal e exploração ilegal de ouro em terras indígenas, "houve conflito entres policiais e indígenas, que tentavam impedir a continuidade da operação na terra indígena Kayabi".

 

Segundo a assessoria da PF, índios da etnia Munduruku teriam sido incentivados, por caciques envolvidos na extração ilegal de ouro, a reagir e enfrentar a equipe de federais que destruíam balsas e dragas usadas por garimpeiros nas ações ilegais. Um índio da etnia Kayabi informou que "uma equipe de policiais fortemente armados teria chegado à aldeia provocando confusão na manhã da quarta-feira". Na operação, os policiais usavam helicóptero e lanchas.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC