Fechar
Publicidade

Setecidades

Publicado em quarta-feira, 22 de agosto de 2012 às 07:00 Histórico

UFABC e Unifesp Diadema garantem manter greve

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em greve há 95 dias, professores das universidades federais da região aprovaram em assembleia, ontem, contraproposta elaborada pelo Andes (Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior) em resposta ao documento apresentado pelo governo durante a rodada de negociações. Tanto UFABC (Universidade Federal do ABC) quanto o campus Diadema da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) mantêm paralisação dos trabalhos, mesmo com a saída de oito instituições do movimento e a pressão do MEC (Ministério da Educação).

O recente documento apresentado pelo Andes projeta malha salarial entre o piso e o teto estabelecidos pelo governo, com impacto de R$ 4,2 bilhões em três anos. Dessa forma, o piso salarial dos docentes por 20 horas de trabalho seria alterado para R$ 2.018,77, conforme proposta do MEC. No entanto, o percentual dos degraus entre os 13 níveis passaria a ser de 4%, sendo que na tabela apresentada pelo governo, o índice varia de 1% a 12%. "A contraproposta tem impacto orçamentário 35% menor que a proposta anterior do Andes", comenta a presidente da Adunifesp (Associação dos Docentes da Unifesp), Virgínia Junqueira.

O comando nacional de greve participa de reunião na Comissão de Educação da Câmara Federal hoje pela manhã. A proposta é conseguir apoio dos deputados federais na tentativa de reabrir negociações. "Estamos sinalizando que estamos abertos ao diálogo e que existe caminho para o acordo", garante o presidente da Adufabc (Associação dos Docentes da UFABC), Armando Caputi.

Enquanto a negociação não chega ao fim para o Andes, docentes de ambas as instituições de ensino não discutirão o cronograma de aulas. No entanto, o MEC solicitou aos reitores, por meio de circular, que seja enviado plano de reposição das aulas perdidas.

Para o Ministério da Educação, a negociação foi encerrada tendo como base a última proposta apresentada, com oferta de aumento entre 25% e 40% até 2015. O acordo foi assinado apenas com o Proifes (Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior) - representante de sete instituições de ensino.

Até o momento, oito universidades federais deliberaram o fim da greve. Além do campus Guarulhos da Unifesp, estão na lista a UnB (Universidade de Brasília), UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), UFCSPA (Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre), UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), além de três campi do Ifac (Instituto Federal do Acre) e 12 do IFPR (Instituto Federal do Paraná).



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC