Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Empresa que aplicou eleição do Fumapis acusa diretor de Habitação

Indago afirma que servidor ameaçou funcionários e nega irregularidade em pleito cancelado


Gustavo Pinchiaro

06/08/2013 | 07:00


Empresa contratada para aplicar a eleição do conselho do Fumapis (Fundo Municipal de Apoio à Habitação de Interesse Social) de Diadema, a Indago Consultoria Ltda acusou o diretor de Habitação da Prefeitura, Sérgio Ramos, de ameaçar seus funcionários por conta do cancelamento do pleito do dia 21.

Segundo a terceirizada, em reunião posterior à suspensão do processo eleitoral, Ramos e sua mulher, Elivania Ferreira da Silva (que era candidata ao conselho), fizeram “graves ameaças” aos trabalhadores da empresa. “Eles insinuaram que não deveríamos mais retornar à cidade, fato que inviabilizou o prosseguimento da reunião, a elaboração da respectiva ata e impossibilitou a conclusão dos trabalhos, sob pena de risco à integridade física e moral dos funcionários da empresa.”

A Indago negou irregularidades na eleição, reclamou da postura do governo Lauro Michels (PV) e informou que cumpriu todas as exigências presentes no edital pelo qual foi contratada. Afirmou também que o clima acirrado entre partidários de Lauro e petistas atrapalhou a condução dos trabalhos. “O cancelamento da eleição foi precipitado e decorreu de fatores alheios à vontade e ao controle da empresa, estando relacionado ao irracional clima de disputa eleitoral entre os candidatos e seus assessores, que espalharam boatos de que a eleição estava sendo fraudada.”

Contratada por R$ 29,4 mil pela Prefeitura, a Indago afiançou que disponibilizou todo equipamento requerido pelo Paço. A empresa informou que, além dos notebooks, ofereceu tablets não previstos no contrato para a realização do pleito.

De acordo com a empresa, servidores designados pelo governo não participaram do treinamento de capacitação para aplicação da eleição, e que isso também prejudicou os trabalhos. “Apesar da falta de apoio das autoridades locais, a votação ocorreu com tranquilidade até às 11h30, quando, surpreendentemente, a eleição foi cancelada, sem que a Indago fosse ouvida e comunicada oficialmente.”

Por nota, a administração municipal informou desconhecer as acusações contra Sérgio Ramos e afirmou repudiar esse tipo de ameaça por parte de funcionários públicos. Ramos não foi localizado e o secretário de Habitação, Eduardo Monteiro, não retornou aos contatos da equipe do Diário.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.