Publicado em sexta-feira, 5 de julho de 2013 às 11:57

'Branca de Neve', de Pablo Berger, chega aos cinemas

Divulgação

Contos de fadas voltaram e após a Branca de Neve de Kristen Stewart, com Charlize Theron como a madrasta, e a de Lily Collins, com Julia Roberts na pele da malvada, chega a espanhola de Macarena García, com Maribel Verdú como a rainha do mal. Há duas semanas, em visita a São Paulo, o diretor Pablo Berger observou que Maribel, uma estrela na Espanha, com mais de 100 filmes no currículo, nunca havia feito uma vilã. "Ela adorou", disse o diretor.

Pare de zoar a Espanha. Na última sexta, estreou o novo filme de Pedro Almodóvar, ruim demais, e até a seleção espanhola, favorita na Copa das Confederações, sofreu uma derrota acachapante para o Brasil. Eis que a "Blancanieves" de Pablo Berger chega para repor no alto o pavilhão da Espanha. Até Almodóvar, em seu blog, saudou o filme como o melhor feito no país no ano passado. Mas só Berger sabe como foi difícil concretizar o projeto, que consumiu oito anos de sua vida.

Mas é provável que, para o público, "Branca de Neve" seja visto como mais um nessa tendência de filmes mudos e em preto e branco - depois de "O Artista", do francês Michel Hazanavicius, que ganhou o Oscar no ano passado, e "Tabu", do português Miguel Gomes, que estreou na semana passada. Exatamente há dez anos, em 2003, Berger virou a sensação do cinema espanhol com um filme que venceu os principais Goyas do ano - "Torremolinos". Berger havia arriscado, e vencido. Aos 30 anos, com um filme sobre o universo do pornô - cenas de sexo explícito de tudo -, ele fez sensação.

Berger podia tudo, ou assim pensou. Mas bastou ele anunciar o que queria fazer - uma Branca de Neve para adultos, ambientada no universo das touradas, em P&B e sem diálogos, para começar o tormento. Foram oito anos de luta. Ele nunca desistiu. "Sou basco, portanto, obstinado." Fez, e venceu de novo. "Blancanieves" ganhou o Goya do ano.

Berger disse que não seria espanhol, muito menos basco, se não se interessasse por touradas. Ele transpõe sua fábula para o universo da tauromaquia. O pai de Blancanieves é o rei da arena, um grande toureiro. Sua mulher morreu ao dar à luz e ele se casou de novo. Um acidente com um touro bravio o deixa tetraplégico. A madrasta manda matar a enteada, mas ela sobrevive. Só que Carmem, a Branca de Neve, herdou o talento do pai e inicia em um cirquinho a trajetória que faz dela uma estrela - para desespero da madrasta. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

BRANCA DE NEVE

Título original: Blancanieves. Direção: Pablo Berger. Gênero: Drama (Espanha/2012. 101 min.). Classificação: 12 anos.



Veja Também

Tags

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Revista Playboy Revista Sexy Palmeiras Corinthians São Paulo Santos Santo André São Bernardo São Caetano Diadema Ribeirão Pires Mauá Rio Grande da Serra Grande ABC Ronan Maria Pinto

Action 'Detalhe :: Index', Execute: 0,035s, Render: 0,118s.