Publicado em quinta-feira, 10 de maio de 2012 às 16:08

IPCA veio acima da expectativa do BC, diz Tombini

A taxa de inflação medida pelo IPCA de 0,64% em abril, divulgada na quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), veio acima das expectativas do Banco Central, disse nesta quinta-feira o presidente da instituição, Alexandre Tombini. No entanto, o acumulado em 12 meses ainda não preocupa.

"A inflação oficial do Brasil em março veio abaixo das nossas expectativas. Em abril, a inflação divulgada ontem (quarta-feira) veio acima da expectativa do Banco Central", afirmou Tombini, durante o XIV Seminário Anual de Metas Para a Inflação, no Rio.

Segundo o presidente do BC, "nos próximos três meses a inflação mensal no Brasil será inferior à inflação mensal registrado em abril. Estamos num processo de convergência da inflação. Esse é um processo que continua, esse processo de convergência, nós vamos acompanhar isso nos próximos meses", declarou Tombini.

Ele também afirmou que a forte valorização da moeda norte-americana frente ao real na última semana foi provocada por um fortalecimento do dólar no cenário internacional. No entanto, ele disse que o BC está acompanhando os possíveis impactos sobre a inflação no País.

"O dólar na última semana teve valorização internacional. A moeda norte-americana se fortaleceu contra todas as moedas, a exceção talvez tenha sido o iene japonês. O real, nessa última semana, desvalorizou-se menos do que o peso mexicano, do que o dólar neozelandês, do que o dólar australiano, do que o rand sul-africano", comparou Tombini. "Ou seja, nesses últimos dias, o que nós vimos foi um movimento internacional de fortalecimento do dólar."

Tombini voltou a frisar que o regime no País é do câmbio flutuante, até para amortecer possíveis prejuízos à economia doméstica causados por choques externos. "O nosso câmbio é flutuante. A primeira linha de defesa quando o cenário internacional muda é o câmbio. O câmbio flutua até para proteger a economia. Vamos ver onde a situação internacional se estabiliza. Certamente no Banco Central nós continuaremos avaliando os impactos de todos os fatores econômicos sobre a inflação, inclusive do câmbio", afirmou.

Quanto aos bancos, o presidente do Banco Central negou que esteja em estudo na instituição um projeto para reduzir os compulsórios. "O governo certamente tem, certamente, todos os instrumentos, e se algum dia precisar ajustar alguns de seus instrumentos, certamente os senhores saberão. No momento, não há nada nesse sentido", afirmou Tombini.



Veja Também

Tags

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Revista Playboy Revista Sexy Palmeiras Corinthians São Paulo Santos Santo André São Bernardo São Caetano Diadema Ribeirão Pires Mauá Rio Grande da Serra Grande ABC Ronan Maria Pinto

Action 'Detalhe :: Index', Execute: 0,089s, Render: 0,04s.