Fechar
Publicidade

Política

Publicado em quarta-feira, 24 de agosto de 2011 às 07:29 Histórico

Demanda de água é maior do que oferta em Sto.André

Em reunião na sexta-feira, integrantes do governo Aidan Ravin (PTB) receberam informação indigesta da direção da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo): a demanda de água em Santo André é maior do que a capacidade de fornecimento da autarquia estadual. Além disso, existem poucas alternativas para a solução do problema. Entre as opções sugeridas, está executar programa forte de conscientização para racionalizar água na cidade.

As informações são do secretário de Orçamento e Planejamento, Arnaldo Augusto Pereira, que ocupa também provisoriamente a Pasta de Gabinete. "A Sabesp alega que está fornecendo o máximo possível, porém, não é suficiente para atender a demanda atual da cidade", revela Arnaldo, que interinamente cobre férias do articulador político da administração, Nilson Bonome, e compareceu à reunião com a diretora-presidente da Sabesp, Dilma Pena, para representar o chefe do Executivo.

Arnaldo salienta que Dilma informou que as restrições de abastecimento de água são entrave grave que afetam toda a Região Metropolitana e vários pontos do Estado. Segundo o secretário, a solução é colocar em prática a racionalização do consumo por parte dos munícipes. "Temos de fazer mudança cultural na sociedade, isso é possível. E verificar também dentro de órgãos públicos a possibilidade de troca de torneiras, vasos sanitários, qualquer coisa, para evitar desperdício da nossa parte."

O secretário afirmou que a presidente da Sabesp se mostrou alinhada à necessidade de se realizar grande trabalho de educação para a redução do consumo. "Concordamos que a água não pode ser desperdiçada. A água é recurso que não dá para ser criado. Não podemos cobrar por algo que não tem, pois é produto escasso." Arnaldo disse que existe inconstância do fluxo. "Em média, são 2,2 metros cúbicos por segundo. Quando cai, complica, dependendo da área."

A falta de água tem sido constante em Santo André. Por isso, o encontro seria para buscar saída em conjunto para melhorar o fornecimento. Porém, o resultado foi frustrante. Jardim Alzira Franco, Vila Helena, Casa Branca e Jardim são alguns bairros afetados. O Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) afirma que o imbróglio está relacionado à irregularidade no fornecimento por parte da Sabesp. A estatal garante que o volume enviado aumentou em 2% comparado a 2010 e dará mais detalhes sobre a situação hoje.

A população de Santo André, estimada em 670 mil habitantes, consome em média 180 milhões de litros de água tratada por dia. Esse volume é distribuído por 15 centros de reservação, com capacidade de 102,9 milhões de litros.

Segundo a Prefeitura, o estudo de eventuais soluções para o problema ainda está sendo planejado por técnicos das duas empresas, que, além dos contatos diários, irão se reunir nos próximos dias para avaliar propostas. Há reunião marcada para dia 19.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC