Publicado em sábado, 5 de maio de 2012 às 07:28

Trabalhador da construção civil tem reajuste


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

Incorporar notícia

Claudinei Plaza/DGABC

Os trabalhadores da construção civil conquistaram reajuste de 7,47% em seus salários. Os presidentes do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), Sergio Watanabe, e do Sintracon (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), Antonio Ramalho, assinaram ontem a Convenção Coletiva de Trabalho relativa à data-base de 1º de maio.

Na avaliação de Ramalho, foi um acordo razoável considerando o período em que o setor está atravessando, haja vista que algumas construtoras de grande porte estão com seus balanços negativos. "Conseguimos aumento real de 52,47% sobre o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que está em 4,9%. No ano passado, foram 49% de alta. Talvez esse foi o maior aumento da história", explica. Em outras palavras, foram 2,57% ganhos já descontada a inflação.

O rendimento dos serventes, vigias, auxiliares, contínuos e demais funções que não demandem formação profissional subiu para R$ 979 mensais ou R$ 4,45 por hora. O piso de pedreiros, armadores, pintores, gesseiros, carpinteiros e demais trabalhadores qualificados passou a R$ 1.168,20 mensais, ou R$ 5,31 por hora. Para os demais profissionais qualificados em obras de montagem de instalações industriais, o salário-mínimo foi para R$ 1.427,80, ou R$ 6,49 por hora. O valor do tíquete-refeição subiu de R$ 13,80 para R$ 15 e o vale-supermercado mensal passou de R$ 140 para R$ 150.

NA REGIÃO - No Grande ABC o acordo ainda não foi fechado e será discutido na semana que vem. Os trabalhadores da construção civil no Grande ABC querem aumento de 10% e cesta básica no valor de R$ 300. E, segundo o secretário-geral do Sintracon de São Bernardo e Diadema, Cláudio Bernardo da Silva, se não conseguirem acordo, haverá greve.

Nas sete cidades ainda é distribuída cesta básica aos funcionários do setor, em vez de vale-supermercado. No entanto, hoje ela é medida pelo peso, e tem 36 quilos. Há três anos, ela pesava 30 quilos e, dois anos atrás, a categoria conquistou o direito de recebê-la em casa.



Veja Também

Tags

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Revista Playboy Revista Sexy Palmeiras Corinthians São Paulo Santos Santo André São Bernardo São Caetano Diadema Ribeirão Pires Mauá Rio Grande da Serra Grande ABC Ronan Maria Pinto

Action 'Detalhe :: Index', Execute: 2,208s, Render: 0,81s.