Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Cajazeiras, muito prazer


Ademir Medici

23/11/2017 | 07:00


“Moro em São Bernardo há 52 anos. Nós nos encontramos no trólebus e fiquei de lhe mandar dados sobre a cidade de Cajazeiras, localizada no alto sertão paraibano. Com relação ao aniversário da cidade, são adotadas duas datas: o dia 22 de agosto, que é a data do nascimento do padre Inácio de Souza Rolim, fundador da cidade; e a outra é 23 de novembro, a data da emancipação política.”

João Bosco, em e-mail à Memória

Neste passeio diário pelos municípios brasileiros, Memória chega a Cajazeiras, na Paraíba. E hoje é uma data importante para a cidade, pois em 23 de novembro de 1863, uma lei provincial elevou o então distrito à categoria de vila, desmembrando-o de Sousa. A então Província da Paraíba do Norte ganhava um novo município, hoje com 154 anos de vida independente.

João Bosco, nosso interlocutor, tem por Cajazeiras verdadeira devoção. Ele define Cajazeiras como a cidade da cultura e do conhecimento, e São Bernardo como a cidade da prosperidade.

“Cajazeiras é a cidade que ensinou Paraíba a ler, segundo o slogan adotado”, conta Bosco. Ele destaca as duas universidades de Medicina de Cajazeiras, e as tantas outras escolas de nível superior nela existentes, que atraem estudantes de todo o Nordeste. E olha que Bosco nem é de Cajazeiras.

O CAJAZEIRADO

João Bosco nasceu em São José de Piranhas, outra cidade com muitos filhos no Grande ABC, a exemplo de Sousa. Aos dois anos e meio sua família o levou para Cajazeiras. Ali cresceu e trabalhou na roça, colhendo algodão, aprendendo a lidar com animais, a partir do rebanho de ovelhas que, menino, foi incumbido de cuidar.

João Bosco permaneceu em Cajazeiras até os 17 anos. Depois correu o Brasil. Em 1960 estava em Luiziânia, no Interior paulista; retornou a Cajazeiras em 1963; em 64 muda para Guaraci, também em São Paulo. Em 1964 descobre São Bernardo, reencontrando-se com parentes da Vila São José. Passa cinco meses em Porteirinha, em Minas Gerais. E fixa-se de vez em São Bernardo em dezembro de 1964, ingressando na Volkswagen e alcançando a função de inspetor de qualidade.

Foram 16 anos de Volkswagen, convivendo com colegas como José Duda Costa e João de Deus Martinez, fundadores do Gipem – o Grupo Independente de Pesquisadores da Memória.

Depois, os 25 meses em que ficou desempregado quase que fizeram João Bosco voltar à vida de campo. Resistiu, família constituída em São Bernardo. Hoje, aposentado, planeja escrever um livro de memórias – e a cada dois ou três anos visita sua região natal, no sertão paraibano.

POPULAÇÃO DE CAJAZEIRAS

61.816 (estimativa de 2016), além de cinco mil flutuantes, representados pelos estudantes de outras plagas.

JOÃO BOSCO (POR ELE PRÓPRIO)

Profissão – Lavrador em desvio de função

Algodão – Ouro branco

Jardim Irajá, em São Bernardo 

O quinto morador, em 1979

Pais de sangue – Izidio Coelho de Souza e Leandra Tavares da Silva

Pais adotivos – Antonio Pessoa de Abreu e Vitalina Maria de Jesus

Mulher –  Expedita Maria Bezerra Bosco

Filhos – Claudio, Raquel e João Bosco Bezerra

Um livro – Vida e Obra do Padre Rolim – Padre Inácio de Sousa Rolim, fundador do colégio de salesianos que deu origem a Cajazeiras

Quem nasce em Cajazeiras – cajazeirense

Quem adota Cajazeiras (como João Bosco adotou) – cajazeirado

Três conterrâneos –  Antonio Pereira, de São Mateus; Maria do Socorro, da Vila Industrial; e Francisco Pessoa, de São Caetano.

Diário há 30 anos

Domingo, 22 de novembro de 1987 - ano 30, edição 6606

POLÍTICA – Já são 17 nomes à sucessão do prefeito Newton Brandão, em Santo André.

IMPRENSA – Informática agiliza produção noticiosa do Diário. Telefotos internacionais começam a chegar via satélite. 

MEMÓRIA – A história do Esporte Clube Parque das Nações.

Em 23 de novembro de...

1917 – A guerra. Do noticiário do Estadão: bloqueio de submarinos alemães nos Açores e na Grécia.

A situação na Rússia: os socialistas, maximalistas e minimalistas; Lenine e a sua propaganda.

1922 – Lurdes Della Mônica nasce na Rua Coronel Alfredo Flaquer, em Santo André. Durante 13 anos trabalhou na Rhodia Química. E foi uma das organizadoras dos encontros anuais das rhodianas, realizados até bem recentemente.

1972 – Médico e historiador Octaviano Gaiarsa apresenta os novos símbolos de Santo André – brasão e bandeira – em ato realizado na Catedral do Carmo. Gaiarsa trabalhou três anos na reforma dos símbolos maiores da cidade.

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 23 de novembro:

Em Goiás, Córrego do Ouro

No Rio Grande do Sul, Jaguarão

Em Sergipe, Macambira e Poço Redondo

No Espírito Santo, Rio Novo do Sul

No Mato Grosso do Sul, Rochedo

No Paraná, São Jorge d’Oeste

Em Rondônia, Vilhena

Fonte: IBGE

Santos do Dia

São Clemente I

Columbano (abade)

Lucrecia

Hoje

Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil

Dia Mundial da Aquarela



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados