Fechar
Publicidade

Setecidades

Publicado em quarta-feira, 13 de setembro de 2017 às 15:55 Histórico

Prefeitura e MTST não chegam a acordo sobre ocupação

Wagner Candido/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Atualizada às 19h17

Uma comissão de lideranças do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto) conversou, nesta quarta-feira, com os secretários de Assuntos Jurídicos, José Carlos Pagliuca, e o de Segurança Urbana, Carlos Alberto dos Santos, de São Bernardo, mas não houve acordo entre o movimento e o Paço sobre o terreno ocupado no bairro Assunção desde o dia 2. 

Uma reunião de conciliação foi marcada para esta sexta-feira no fórum da cidade entre representantes do MTST e o proprietário do terreno, localizado na Rua João Augusto de Souza. Até lá ficou acordado que não haverá reintegração de posse. A ocupação, que ganhou o nome Povo Sem Medo, já conta com 3.500 famílias. 

Durante a tarde, entre 3 e 4 mil pessoas se deslocaram da ocupação até o Paço Municipal, onde chegaram às 16h20. O líder do movimento, Guilherme Boulos, acompanhou o ato e participou da reunião com os secretários. Segundo ele, foi pedida uma conversa com o prefeito Orlando Morando (PSDB), mas o Executivo não estava no Paço. "A postura da Prefeitura de São Bernardo foi mais uma vez irresponsável e inconsequente. Não teve proposta concreta e fica evidente que o Paço está apostando em conflito. A Prefeitura, que não quer diálogo nem negociação, não entendeu a gravidade do caso, e vai pagar o preço e sofrer as consequências. O MTST vai fazer novas mobilizações nos próximos dias."

Uma nova manifestação está marcada para a manhã desta sexta-feira. Mas o movimento, no entanto, não revelou qual será a trajetória do protesto.

Durante o ato, a GCM (Guarda Civil Municipal) montou uma barreira no saguão de entrada do estacionamento da Prefeitura e funcionários da Câmara foram dispensados. Seis viaturas da Força Tática da Polícia Militar também estiveram no local. 

Por meio de nota, a Prefeitura reafirmou sua política habitacional implantada desde janeiro, que obedece ao número de 1.980 famílias cadastradas e que recebem o Bolsa Aluguel. "O município não concorda com este modelo de invasão por moradia, que vai contra a sua política, reforçando que muitos das pessoas do terreno não são moradores de São Bernardo." (Com informações de Daniel Tossato)



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC