Fechar
Publicidade

Nacional

Publicado em sexta-feira, 2 de julho de 2010 às 08:42 Histórico

Bruno se diz 'constrangido' com sumiço da ex

Da AE Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

O goleiro do Flamengo Bruno Fernardes quebrou o silêncio ontem e falou pela primeira vez sobre o desaparecimento da ex-namorada, Eliza Samudio, 25 anos, com quem teria um filho de 4 meses. O jogador do Flamengo disse estar chateado, sob forte constrangimento, com o sumiço da jovem, no qual é apontado pela polícia como principal suspeito, e negou qualquer envolvimento no caso.

"A situação é meio delicada. Estou chateado e torço para que ela possa aparecer. É constrangedor para mim e para a minha família. Estou chateado por ela ter desaparecido. Quero que a gente possa voltar a conversar e ser feliz outra vez. Está difícil", declarou Bruno, depois de treinar por duas horas no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, em Vargem Grande (Zona Oeste).

Ao deixar o gramado, o goleiro avisou à imprensa que só falaria no momento certo. Mas, ao ouvir a primeira pergunta, começou a falar sobre o episódio por alguns minutos. Não soube dizer com precisão a última vez que viu Eliza, mas estimou que foi há cerca de três meses, quando teria conhecido o filho que ela dizia ser dele.

Uma testemunha que prestou depoimento, na quarta-feira, na Delegacia de Homicídios de Contagem, em Minas Gerais, confirmou ter visto Eliza e seu filho no sítio do goleiro, em Esmeralda, região metropolitana de Belo Horizonte, há cerca de três semanas.

De acordo com o goleiro, Eliza entregou a criança a um amigo dele, conhecido como Macarrão, alegando que iria resolver problemas pessoais. Bruno disse que viu novamente o bebê no sítio, nos braços de Macarrão, mas não citou quando e não deu muitos detalhes "por orientação dos advogados".

"Ele (Macarrão) é meu funcionário, pode responder melhor que eu", afirmou. Bruno disse ter entregue o caso a Deus.

Em relação ao nome da criança, o goleiro disse que "está registrado Bruno Samudio". "Acho que o nome é esse e acabou." Assim, encerrou a entrevista, despediu-se dos jornalistas e caminhou lentamente em direção ao vestiário.

Teste - A polícia divulgou ontem que a substância encontrada na picape e no sítio do goleiro era sangue. O teste toxicológico na urina de Eliza Samudio detectou um grupamento de substâncias consideradas abortivas, informou ontem o Departamento Geral de Polícia Técnico Científica da Polícia Civil do Rio de Janeiro (DGPTC). Segundo os peritos, no entanto, a mistura também pode ser encontrada inclusive no consumo simultâneo de bebidas alcoólicas com fumo.

Por essa razão, os peritos que analisaram o material colhido decidiram enviá-lo para o laboratório da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a fim de confirmar a análise. O exame de corpo de delito foi realizado pelo Instituto Médico-Legal após Eliza registrar queixa no dia 15 de outubro contra o goleiro Bruno e três amigos por agressão, cárcere privado e indução ao aborto. O laudo definitivo vai ser divulgado na segunda-feira.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC