Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Trump vai retomar lei de 1962 para estudar barreiras a importações de aço

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


20/04/2017 | 08:52


O presidente dos EUA, Donald Trump, vai reforçar sua política comercial da "América Primeiro" com a retomada de uma lei raramente usada e de décadas atrás para estudar a possibilidade de impor novas barreiras a importações de aço, segundo comunicado divulgado pela Casa Branca ontem à noite.

Trump planeja uma cerimônia, às 13h (de Brasília) desta quinta-feira, para marcar o início de uma investigação especial sob a Lei de Expansão Comercial, legislação de 1962 que permite a aplicação de sanções comerciais de emergência por motivos de "segurança nacional", segundo o comunicado.

O comunicado não detalha a natureza da investigação, mas fontes com conhecimento do assunto disseram ao Wall Street Journal que o foco será as importações de aço e que representantes da indústria siderúrgica estarão presentes na cerimônia. Uma outra fonte destacou que a investigação poderá englobar outros produtos considerados "importantes para a defesa".

O governo americano não recorre à lei da década de 1960 desde a criação, em 1995, da Organização Mundial do Comércio, que desencoraja iniciativas unilaterais do gênero.

O uso mais notório da lei foi em 1971, quando o então presidente Richard Nixon adotou uma sobretaxa generalizada de 10% para conter o déficit comercial que os EUA registravam na época. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.