Fechar
Publicidade

Nacional

Publicado em quinta-feira, 13 de maio de 2010 às 12:58 Histórico

Justiça do Rio nega pedido de liberdade para procuradora

Da AE Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

A Justiça do Rio de Janeiro negou no fim da tarde desta quinta-feira o pedido de revogação da prisão da procuradora aposentada Vera Lúcia de Sant'Anna Gomes, acusada de torturar uma menina de dois anos que estava sob sua guarda provisória. A procuradora se entregou hoje à polícia após mais de uma semana foragida.

O pedido de revogação foi feito pelo advogado da procuradora, Jair Leite Pereira, sob o argumento de que a acusada não está causando impedimentos ao andamento do processo, tem endereço fixo e não possui antecedentes. No entanto, para o juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, da 32ª Vara Criminal, a soltura prematura da acusada poderá prejudicar a colheita de provas.

Com turbante e óculos escuros, Vera Lúcia se apresentou às 12h de hoje na 32ª Vara do Tribunal de Justiça. Segundo o juiz, a procuradora se emocionou enquanto era lida a acusação e disse que apenas quer se defender.

Depois de fazer exames de corpo de delito, a acusada foi encaminhada para uma cela especial no presídio Pedrolino Werling de Oliveira, mais conhecido como Bangu 8, na Zona Oeste.

A procuradora estava foragida desde o último dia 5, quando foi expedido seu mandado de prisão. Ontem, seu advogado anunciou que ela se entregaria até sexta-feira - a liminar que pedia a revogação da prisão da acusada foi negada na segunda.

O Disque-Denúncia divulgou na terça-feira um cartaz pedindo informações sobre o paradeiro da procuradora e, até ontem, foram recebidas 32 ligações sobre o caso.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC