Fechar
Publicidade

Diarinho

Publicado em domingo, 9 de abril de 2017 às 07:00 Histórico

Jornada rumo ao desconhecido

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

A vida de um smurf é simples. Todos os que moram na aldeia acordam e estão prontos para suas tarefas diárias, com cada um sabendo exatamente o que fazer. Ao mesmo tempo, precisam ficar sempre atentos ao planos do malvado feiticeiro Gargamel, que deseja raptar as criaturas azuis para roubar seus poderes e se tornar muito poderoso. Mas o vale onde o grupo vive é enorme e há áreas que ainda parecem guardar segredos.

Em uma das muitas aventuras da simpática comunidade, Smurfette foge dos ataques dos vilões e acaba de frente com uma misteriosa figura que parece ser um smurf, mas com gorro amarelo. Ela foge para a chamada Floresta Proibida, além do grande muro, onde todos são proibidos de irem por ordem de Papai Smurf. A jornada por encontrar a origem dessa criatura desconhecida está em Os Smurfs e a Vila Perdida, em cartaz nos cinemas brasileiros desde quinta-feira.

O filme explora a ideia de que os personagens podem não ser os únicos de sua espécie. Muito do que é visto em cena é apresentado por causa da curiosidade de Smurfette, que deseja encontrar seu talento (veja mais ao lado). Na viagem, ela tem a companhia de Gênio, Desastrado e Robusto, sem contar que Gargamel também deseja achar a vila e realiza jornada paralela com a dos mocinhos.

O local desconhecido é recheado de elementos fantásticos, casos de flores que tentam engolir os visitantes, rio flutuante e seres nada comuns. Tudo faz parte do ambiente vivido por versões femininas dos smurfs, lideradas pela chefe Smurf-Magnólia. Cheias de detalhes nas roupas, elas demonstram ser grandes guerreiras quando preciso e terão de unir forças com os recém-chegados para combater os vilões.

Produzida 100% em tecnologia 3D, a animação do diretor norte-americano Kelly Asbury (também responsável por Shrek 2) deixa de lado a vinda dos smurfs para o mundo real em filmes anteriores feitos nos anos 2010. A volta ao mundo dos desenhos animados parece ter retomado melhor o tom da diversão do passado.

Smurfette tenta encontrar seu espaço na aldeia

Toda a aventura de Os Smurfs e a Vila Perdida começa quando Smurfette tenta encontrar seu verdadeiro talento em meio à toda comunidade ao redor. A aldeia é recheada de figuras com características bem definidas, como o escultor, o ninja, o agricultor, o resmungão, o músico e o xereta. Ela observa as atividades dos companheiros e busca copiá-los com o objetivo de descobrir sua vocação.

Os questionamentos da personagem, a única menina em meio a tantos meninos, surgem muito porque Smurfette foi criada por Gargamel para enganar os rivais. O jeito malvado combinava com o estilo, marcado pelo cabelo escuro e a pele cinza. Mas Papai Smurf viu bondade em seu coração e, com ajuda de mágica e elementos especiais, a transformou na criatura bondosa que conhecemos.

Apesar de parecer que não tem talento, Smurfette é peça fundamental nas histórias , sejam nos quadrinhos, TV ou cinema.

Os Smurfs foram criados pelo ilustrador belga Pierre Culliford (conhecido por ‘Peyo’), estreando nas páginas das HQs em 1958

OS SMURFS (1981-1989). Desenvolvida pelos estúdios Hanna-Barbera, a animação marcou época nos anos 1980 por apresentar a comunidade de seres azuis com altura de três maças e trazer figuras como Papai Smurf, Smurfette e Joca

OS SMURFS (2011). A primeira adaptação dos personagens para as telonas contou com a ajuda de muitos efeitos visuais para colocá-los ao lado da família de Patrick (papel de Neil Patrick Harris) ao tentar achar Desastrado pelas ruas da cidade de Nova York (Estados Unidos)

OS SMURFS 2 (2013). Na segunda aventura nos cinemas, Gargamel cria os endiabrados Vexy e Hackus para raptar Smurfette e finalmente descobrir o segredo mágico dos smurfs, fazendo com que o grupo viaje para Paris (França) para resgatar a amiga



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC