Fechar
Publicidade

Diarinho

Publicado em domingo, 26 de março de 2017 às 07:00 Histórico

Quem criou a luz artificial?

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

 As primeiras lâmpadas foram criadas por volta de 70.000 anos a.C. (antes de Cristo), tendo sido encontradas no Egito, Grécia e Roma, na Itália. Elas eram feitas de conchas ou rochas com gordura animal, acesas com ajuda de uma chama ou faísca. Materiais como bronze, pedra, terracota (constituído por argila) e alabastro (um tipo de cerâmica) eram utilizados para desenvolver espécies de pratos que podiam conter óleo para ser queimado.

Como esse tipo de iluminação não era muito eficiente para clarear as ruas das cidades, foram criadas as lâmpada a gás. O primeiro experimento desse tipo ocorreu em 1792, pelo britânico William Murdoch (1873-1912), que fez o teste em sua casa. No ano de 1846, o médico e geólogo canadense Abraham Gesner (1797-1864) usou querosene para realizar a queima, gerando um brilho mais intenso.

O maior impacto dentro da iluminação veio com o surgimento da energia elétrica. Na Inglaterra, no ano de 1808, experimento revelou a passagem de corrente elétrica em um filamento de platina que se tornou incandescente por um curto período de tempo. Mas foi somente em 1870 que o britânico Sir Joseph Wilson Swan (1828-1914) e o norte-americano Thomas Edison (1847-1931), individualmente, desenvolveram lâmpadas que utilizavam filamento de carbono no vácuo. O brilho forte das invenções poderia durar mais do que 1.200 horas.

As lâmpadas incandescentes contam com filamento por meio do qual passa a corrente elétrica. Quando o item aquece, ele emite luz. O equipamento fica dentro de uma redoma de vidro com atmosfera de gás e impede que o filamento se queime.

A questão da sustentabilidade tem banido esse tipo de aparelho, uma vez que apenas 10% da energia consumida por ele se transforma em luminosidade. As com tecnologia LED estão entre as mais modernas, com pequenas dimensões, tendo grande durabilidade e sendo muito econômicas.

Vaga-lumes e alguns tipos de algas produzem bioluminescência, tipo de luz fria e visível produzida por organismos vivos com ajuda de reações químicas dentro de seus corpos

Pergunta de Eduardo Peixoto Lemos, 12 anos, de Santos, diz que a lâmpada evita que as pessoas vivam no escuro quando necessário. “A vida seria bem complicada sem a luz. Imagina dar uma volta pela cidade à noite sem iluminação”, comentou.

Consultoria de Francisco José de Oliveira Maia, professor e coordenador dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia de Controle e Automação da Universidade Anhanguera, de Santo André.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC