Fechar
Publicidade

Automóveis

Publicado em sexta-feira, 20 de janeiro de 2017 às 07:44 Histórico

Quanto vale o seguro dos dez carros zero-quilômetro mais vendidos do País

Banco de dados Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Quando a meta é comprar um carro, muitas pessoas primam pelo design, pela economia e (a maioria) pelo preço final. Mas você já parou para pensar o quão o valor gasto com o seguro pode comprometer seu orçamento?

Pensando nisso, a Bidu Corretora realizou levantamento que aponta o valor do prêmio para os dez modelos mais emplacados no último ano. Para se ter ideia, nas principais capitais do Brasil (São Paulo e Rio de Janeiro) o valor de seguro do Chevrolet Onix – o mais vendido de 2016, com mais de 153 mil unidades emplacadas – é de, respectivamente, R$ 3.097,52 e R$ 1.662,66.

Trazendo para o Grande ABC, pedimos à empresa uma cotação média dos modelos em questão. Pelo mesmo hatch da GM, um homem, de 35 anos, casado, sem filhos, que mora e trabalha em Santo André, gasta R$ 3.883,37 com seguro. Para São Caetano fica R$ 4.245,54. Em São Bernardo, o montante cai para R$ 3.891,71.

Caso o mesmo cliente opte em comprar um Hyundai HB20 (que também pertence à categoria de hatches), precisa desembolsar nada menos que R$ 7.137,77 com o seguro. Ford Ka, Chevrolet Prisma e Toyota Corolla saem por, respectivamente, R$ 5.096,88, R$ 4.733,19 e R$ 8.982,38.

Para estes casos, a cobertura a terceiros é de R$ 50 mil para danos materiais ou corporais.

As seguradoras cotadas são: Bradesco Seguros, Allianz, AIG, Cardif, HDI Seguros, Sompo Seguros e Tokio Marine.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC