Fechar
Publicidade

Setecidades

Publicado em sexta-feira, 6 de agosto de 2004 às 22:48 Histórico

Assalto acaba com três mortos em Santo André

Três ladrões mortos e dois reféns baleados foi o saldo da tentativa de assalto a uma casa nesta sexta na hora do almoço, na Vila Assunção, em Santo André. Os assaltantes renderam quatro funcionários que instalavam um portão automático na casa e invadiram o local. Operários que trabalhavam em uma obra ao lado da casa viram tudo e chamaram a polícia.

Eram 13h30 quando os três assaltantes chegaram até a residência, na rua Visconde de Mauá, próxima ao Parque Central e ao cemitério da Vila Assunção. O portão estava sendo trocado desde manhã por quatro funcionários da empresa Dal Porta.

O trio, que portava dois revólveres 38 e uma pistola calibre 7.65, anunciou o assalto, rendeu os trabalhadores e invadiu a casa, onde estavam o dentista Mauro Roberto Colleoni, 38 anos, que estava dormindo, a mãe dele, Maria Nilza Delmanto Colleoli, 62 anos, e a empregada doméstica Juvenilda Maria de Lima, 35 anos.

A primeira preocupação do trio foi a de encontrar a chave de uma picape D-20, de propriedade do dentista, estacionada na garagem da residência. Os funcionários não souberam informar onde ela estava guardada.

Irritados, os assaltantes acordaram Colleoni e o renderam, assim como Maria Nilza e a empregada. Os sete reféns foram obrigados a ficar dentro do banheiro ao lado da sala de estar. A porta, que não foi trancada, era vigiada por um dos ladrões.

Os outros dois comparsas passaram a percorrer todos os cômodos da residência à procura de objetos de valor. Chegaram a recolher e a juntar no meio da sala um aparelho de DVD, um conjunto home teather, uma televisão de 29 polegadas e uma câmera fotográfica digital.

O que os bandidos não esperaram era que um vizinho chamasse a polícia. Ao lado do sobrado, pedreiros faziam a reforma de um imóvel e um deles percebeu o roubo e telefonou para o 190.

Quando dois policiais militares chegaram ao local e perceberam a gravidade do caso, pediram ajuda para mais dois colegas. Ao virem os policiais, dois dos ladrões inclinaram uma mesa e fizeram uma espécie de barricada na sala. De acordo com a PM, eles atiraram primeiro e os policiais revidaram. Os dois ladrões tomaram dois tiros no peito cada um e caíram.

O terceiro ladrão, que vigiava a porta do banheiro onde mantinha os reféns, abriu a porta e disparou. O tiro pegou de raspão no braço do funcionário Ariovaldo Andreo Alledo, 47 anos. O ladrão pegou a doméstica Juvenilda e a fez de escudo contra os policiais.

Segundo a polícia, ele estava muito nervoso, com as mãos trêmulas. Ao apontar a arma para a cabeça da doméstica, acabou acertando a clavícula dela. Os policiais aproveitaram esse instante para atirar contra o ladrão, que levou cinco tiros.

Todos foram levados ao Centro Hospitalar Municipal, onde os assaltantes morreram. Eles não portavam nenhum documento e até esta sexta à noite não tinham sido identificados pela polícia. Os dois reféns baleados não correm risco de morte.

Estatísticas – Roubo foi o tipo de crime que mais cresceu em Santo André na comparação deste primeiro semestre com o mesmo período do ano passado. A alta foi de 14,65%, enquanto que no conjunto do Estado hove queda de 2,53%, assim como na Capital, onde a incidência desse crime caiu 2,5%. Os dados foram fornecidos pela Secretaria Estadual de Segurança Pública há uma semana.

A Polícia Militar atribui o aumento à suposta transferência das quadrilhas de roubo de carro (houve queda de 19,35% na cidade) para outros tipos de crime.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC