Fechar
Publicidade

D+


Publicado em domingo, 14 de novembro de 2010 às 07:00 Histórico

Órfãos de J. K. Rowling

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Em 1997, a britânica J. K. Rowling nem imaginava que o livro recém-publicado faria megassucesso e conquistaria legião de fãs pelo mundo. No ano seguinte, os direitos para transformar a obra em filme foram adquiridos pela Warner. Mas a saga do bruxinho só ganhou as telonas em 2001. Hoje já vendeu mais de 400 milhões de exemplares em 60 idiomas.

Naquela época, a série começava a ganhar fama no Brasil. Antes disso, porém, a mãe de Fernanda Azevedo Gonçalves, 16 anos, de Santo André, já lia Harry Potter e a Pedra Filosofal para ela, que estava sendo alfabetizada. "Tentava ler sozinha quando ela não podia. Assim, não precisava esperá-la para saber o resto da história", lembra.

Situação semelhante aconteceu com Marina Fassone, 16, de Santo André. Quando a mãe mostrou o primeiro volume da série, a garota achou estranho não ter ilustrações. Na ocasião, tinha apenas 6 anos. "Pensava que livro sem figura era só para adultos."

No entanto, após perceber que a trama era bacana, não parou mais. A mãe a ajudou até a terceira obra. Depois, passou a ler sozinha. Agora, Marina pretende reler a saga toda; desta vez, em inglês. "Todo capítulo tem um acontecimento diferente. Não é parado ou previsível. Sempre surpreende."

Segundo Maria Irene Maluf, especialista em psicopedagogia e neuroaprendizagem, Harry Potter desperta o interesse de quem realmente se identifica com a história, mas isso não ocorre com todos. Além disso, a forma como os pais estimulam a leitura desde cedo também influencia o gosto pelos livros.

SAUDADE - Os fãs ficaram tristes com o lançamento do último volume: Harry Potter e as Relíquias da Morte, em 2007. Entretanto, mesmo achando que os livros são melhores, os filmes davam um jeito em parte da saudade. O problema é que o fim da saga na telona está próximo com a estreia da primeira parte da última aventura. "Não tem livro que substitua. Crepúsculo diverte, mas não tem nada de mais", diz Fernanda. Marina concorda.

Pelo visto, o melhor jeito de amenizar a falta que Harry Potter faz é seguir a dica de Matheus Galindo Montanhini, 11, de São Bernardo. "Quando tudo acabar, podemos reler os livros e rever os DVDs."

 

Começa o fim da saga

 

O fim chegou. Estreia na sexta, nas telonas do mundo todo, Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 1. Desta vez, Harry não tem como escapar do confronto direto com Lorde Voldemort, que ao longo dos anos reuniu fiel e potente exército de bruxos do mal.

O protagonista também já não conta com a proteção de Alvo Dumbledore, morto no sexto longa. Para enfrentá-los com alguma chance de vitória, Harry (Daniel Radcliffe), Rony (Rupert Grint) e Hermione (Emma Watson) têm de encontrar todas as Horcruxes. Esses objetos mágicos contêm pequenos pedaços da alma de Voldemort e possibilitam a imortalidade do vilão.

O mundo mágico se transforma em local perigoso para a turma do bem. Os Comensais da Morte controlam Hogwarts e o Ministério da Magia. Todos estão caçando Harry. Nessa confusão toda, o garoto vai descobrir que só ele poderá acabar com o maior inimigo de todos.

Megaefeitos especiais e lindos cenários estão mais uma vez presentes no filme. Como nos dois longas anteriores, o clima é supersombrio. O único problema, como todos os fãs já sabem, é que a trama será concluída apenas em 15 de julho de 2011, quando está prevista a estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte - Parte 2. Além disso, o primeiro não será mais lançado em 3D.

 

Fãs encontraram um jeitinho de manter a magia

 

Para não condenar a saga Herry Potter ao fim eterno, alguns fãs decidiram escrever a continuação da obra. Fernanda Azevedo Gonçalves começou a ter algumas ideias após ler o sétimo livro. As histórias foram tantas que ela decidiu postá-las numa comunidade no Orkut. "Fiz para matar a saudade. Várias pessoas começaram a ler", conta.

O primeiro texto fala sobre a chegada dos filhos de Harry Potter e Gina Weasley e de Rony e Hermione a Hogwarts, onde são recepcionados por Hagrid, assim como seus pais foram na infância. Mas, por causa da escola, Fernanda não tem mais tempo de criar novas tramas.

Matheus Galindo Montanhini também já fez um acordo com os primos, incluindo Antonio Gabriel Galindo: "Depois de ler todos os livros, a gente vai escrever a continuação da história". Apesar disso, o garoto gostaria que a autora J. K. Rowling realmente fizesse a sequência da saga. Sem isso, vai se sentir órfão.

CONTINUAÇÃO? - Após Harry Potter e as Relíquias da Morte, a escritora britânica publicou Os Contos de Beedle, o Bardo (Editora Rocco, 107 págs., R$ 24,50). Mas não se trata de continuação. A obra é a mesma que Hermione ganha de Dumbledore no sétimo livro. Tem cinco contos dos bruxos que revelam curiosidades sobre Hogwarts. As ilustrações também são de Rowling.

Mas os fãs podem ter uma pontinha de esperança. Em entrevista à apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, em outubro, a autora não descarta a possibilidade de fazer a tal continuação. "Eu poderia certamente escrever um oitavo, nono, décimo livro. Não vou dizer que não farei isso", confessa.

 

Dez longos anos de dedicação

 

O ator Daniel Radcliffe, 21 anos, cresceu com a evolução do personagem Harry Potter no cinema, assim como Emma Watson, 20, e Rupert Grint, 22, com Hermione e Ron. Com uma década de filmagens, a saudade não é exclusividade dos fãs.

Durante o Tony Awards 2010 - maior premiação do teatro norte-americano, em junho -, Radcliffe afirmou que o último dia de filmagem de As Relíquias da Morte foi difícil. "Todos estavam inconsoláveis. Foi muito, muito triste. Choramos muito."

Em entrevista ao site Today Show, ele reforçou que esses foram seus melhores anos. "As coisas que vou me lembrar são estar no set, filmar e fazer o trabalho que amo. Toda oportunidade que tiver deriva de que, aos 10 anos, fui escolhido para ser Harry Potter. Sempre serei grato e tenho muito orgulho de estar associado a isso."

Em 2011, os fãs poderão conferir sua atuação no suspense The Woman in Black. Na trama, interpreta um advogado que viaja para um vilarejo amaldiçoado pelo fantasma de uma mulher. É esperar para ver se ele será lembrado apenas como o bruxinho.

 

Muitos descobriram depois

 

Novas gerações, de gente que nasceu após o lançamento dos livros, têm se interessado pela saga Harry Potter. Matheus Galindo Montanhini, 11, está no quarto volume, Harry Potter e o Cálice de Fogo. Entretanto, já tem a série inteira em casa, além de todos os DVDs dos filmes. "Tinha preguiça de ler e até de estudar. Comecei a me interessar mais por leitura por causa do Harry", afirma.

O primo Antonio Gabriel Galindo, 13, também conta que tomou gosto pelos livros depois que viu a história sobre o bruxinho. Agora, chega a devorar dois exemplares com cerca de 300 páginas cada em apenas uma semana. "O legal é que aprendi palavras novas que têm nas obras."

 

Passeio incrível pelas terras de Hogwarts

 

Quem curte muito a saga do garoto-bruxo sonha viver aventuras nos cenários mágicos dos filmes. Isso já é possível desde que o Mundo Mágico de Harry Potter, no Universal Orlando Resort, Estados Unidos, foi inaugurado em junho.

Gabriel Pirroncelli Batista, 13 anos, de Mauá, e sua família planejaram a viagem antes mesmo de o parque ficar pronto. Acompanharam o andamento da construção por três anos. Até que em 18 de setembro embarcaram para Orlando, onde ficaram 22 dias. "É muito grande. Parece que estamos dentro dos filmes. Só faltou os personagens", conta Gabriel, que é fã de Harry Potter desde os 4 anos. Lá, é possível andar pela vila Hogsmeade, beber cerveja amanteigada (de verdade!) no Restaurante Três Vassouras e comprar varinha mágica no Olivaras. No banheiro dá para escutar a voz da Murta que Geme, menina-fantasma que vive no toalete de Hogwarts.

Para Eduardo Brandão, 15, de Santo André, que o acompanhou, a montanha-russa Duelo de Dragões é uma das atrações mais legais, além de Jornada Proibida, brinquedo mais disputado de lá. Até a fila gigantesca proporciona diversão. Ao passar por ela, se vê Dumbledore em sua sala, o chapéu seletor, quadros com figuras que falam e se movem e Rony e Hermione conversando.

Sabe os feijõezinhos de todos gostos? Gabriel trouxe um monte para casa. E, acredite, eles realmente têm sabores malucos, como sabão, grama, cera de ouvido e vômito.



Veja Também

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC