Fechar
Publicidade

Cultura & Lazer

Publicado em segunda-feira, 27 de junho de 2011 às 07:00 Histórico

Escola Livre de Teatro compartilha vivências

Em Santo André, a Escola Livre de Teatro abrirá amanhã a tradicional "Mostra de Processos", que compartilha as vivências de seus diferentes núcleos até o dia 17. Gratuita, a agenda abarca espetáculos, exercícios cênicos e leituras dramáticas, além de aula aberta, palestra e conversa (confira a programação completa abaixo).

Segundo a coordenadora pedagógica da ELT, Juliana Monteiro, é durante a mostra que os aprendizes recebem retorno dos trabalhos e adquirem noção do que funciona em cena. "Eles têm contato com o público que não necessariamente é conhecido. Esta é a hora em que sabem o que realmente têm em mãos", afirma.

Uma das expectativas desta edição é a estreia da peça "Londres Ri de Nós (Ou a Vida de Eduardo II da Inglaterra)", encenada pelo Núcleo de Formação do Ator 13, que tem orientação de Antônio Rogério Toscano, Juliana Monteiro, Fabrício Zavanella e Cristiano Meireles.

Baseado em textos do dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956) e do escritor inglês Christopher Marlowe (1564-1593), o espetáculo retrata um fato histórico da Inglaterra, ocorrido no início do século 14. Na trama, Eduardo 2º chega ao poder e chama de volta à ilha o seu amante de adolescência. Por conta desse amor, instaura guerra que leva algumas décadas. "Era um história escandalosa para o mundo medieval", conta Rogério Toscano.

Em torno desta história, é discutido o modo como a vida política se articula. "A montagem é uma espécie de xadrez medieval, no qual as peças estão todas em jogo", compara o mestre.

O título do espetáculo parte de frase dita durante texto de Brecht. "As peças do tabuleiro - os bispos e as torres por exemplo - estão preocupadas com o que a cidade de Londres diz da corte porque agora o rei tem um amante junto a ele", explica.

Cena após cena, o espetáculo apresenta desdobramentos do campo político que são tão inesperados quanto complexos. "Vão revelando o modo como as escolhas ligadas ao poder são apartadas do interesses coletivos", afirma.

Dessa forma, o cenário representa um tabuleiro, onde todas as movimentações dos atores são regidas. "É onde se decide tudo sobre a vida política e sem nenhuma participação do povo", aponta.

Jovens atores se deparam com papéis bastante complexos. "Todas as personagens são inspiradas pelo teatro do Brecht. São dotadas de contradições, paradoxos. Do ponto de vista pedagógico, é um treinamento muito importante", conta o mestre. (Colaborou Luciane Mediato)

Mostra de Processos Teatro. Na Escola Livre de Teatro (Teatro Conchita de Moraes) - Praça Rui Barbosa, 12, Santo André. Tel.: 4996-2164. Abre amanhã, a partir das 9h. Entrada franca (retirar ingressos com uma hora de antecedência). Até dia 17.


EVENTO RECEBE TRABALHOS DE ARTISTAS CONVIDADOS

Durante a Mostra de Processos, algumas atividades serão desenvolvidas por artistas convidados. Integra a programação a "Roda de Culturas Populares", que tem a intenção de aproximar o público da brincadeira. De Ribeirão Pires, o grupo Toadas à Trovadas promoverá o encontro de ritmos populares brasileiros como o coco e a ciranda.

O Coletivo Quizumba também apresentará a peça infanto-juvenil homônima, que tem dramaturgia assinada por Tadeu Renato. Baseada nas histórias de vidas do Mestre Pastinha e do Zumbi dos Palmares, a montagem é centrada em dois garotos que, aprendendo a equilibrar covardia e valentia, tornam-se guerreiros.

Já a diretora, atriz e professora universitária Stela Fischer ministrará palestra intitulada "Processo Colaborativo e Experiências de Companhias Teatrais Brasileiras". Durante a atividade, ela discutirá sobre um dos procedimentos mais usuais de criação teatral em grupo.

De Suzano, o grupo Contadores de Mentira exibirá o espetáculo "Curra - Temperos Sobre Medéia". Tendo como eixo a mitologia grega, a montagem propõe a confraternização ritualística, fruto de pesquisas da companhia que envolvem as culturas oriental e africana.

Outra peça que poderá ser conferida é "Nº 298", encenada pelo Núcleo de Pesquisa Teatral Os Parafernálios. Na trama, o esquecido e confuso José transita pela própria casa e tenta, por meio de objetos, reconstituir histórias deste espaço.


AGENDA

Amanhã, a partir das 9h - Seis Peças (exercício cênico).
Dia 1º, às 16h - "Terezinha"; às 20h30 - Londres Ri de Nós (peça/ estreia).

Dias 2 e 3, às 20h30 - Londres Ri de Nós (peça).

Dia 4, às 20h30 e às 21h15 - "Inominável" (exercício cênico).

Dia 5, às 18h - "Mascaradas" (aula aberta); às 19h30 - "Roda de Culturas Populares" (espetáculo itinerante).

Dia 6, às 16h - "Quizumba!" (peça); às 18h - Leituras (trechos de textos/ leituras dramáticas); às 20h - Processo Colaborativo e Experiências de Companhias Teatrais Brasileiras (palestra).

Dia 7, às 18h30 - "Seis Peças" (exercício cênico).

Dia 8, às 18h - Leituras; às 20h30 - "Londres Ri de Nós"(peça).

Dias 9 e 10, às 20h30 - "Londres Ri de Nós" (peça).

Dia 11, às 18h - "Realidades" (exercício cênico).

Dia 12, às 16h - "Caminhos" (conversa); às 20h - Estudos Sobre Nora (exercício cênico).

Dia 13, às 20h - "Curra - Temperos sobre Medéia" (peça).

Dia 14, às 16h - "Nº 298" (peça); às 19h - Dando Bandeira (exercício cênico).

Dias 15, 16 e 17, às 20h30 - "Londres Ri de Nós" (peça).



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC