Fechar
Publicidade

Nacional

Publicado em domingo, 13 de junho de 2010 às 07:38 Histórico

Desaparecimento de engenheira completa 2 anos

A família e amigos da engenheira Patrícia Franco realizaram ontem manifestação para lembrar os dois anos de desaparecimento da moça. Com camisetas brancas com a inscrição "Cadê Patrícia?", eles voltaram à saída do Túnel Lagoa-Barra, à beira da Lagoa de Marapendi, no Rio de Janeiro, onde o Palio da engenheira foi encontrado, em 14 de junho de 2008.

"Tudo o que queremos é a verdade: o que aconteceu com a nossa filha? O que fizeram dela? Onde está o corpo? Os quatro policiais têm de ir a julgamento e contar a verdade", defendeu o pai da engenheira, Antônio Celso Franco.

Patrícia teria sofrido um suposto acidente de carro. Bijuterias e o par de sandálias da engenheira apareceram na lagoa, o que levou os bombeiros a fazer buscas pelo corpo na água. No entanto, a perícia descobriu indício de crime, como marcas de tiro no veículo e cinto de segurança travado. O fato de o corpo ter sido retirado depois que o banco do motorista foi rebaixado também alertou as autoridades.

O soldado William Luiz do Nascimento e o cabo Marcos Paulo Nogueira Maranhão foram denunciados à Justiça por homicídio e ocultação de cadáver. Os soldados Fábio Silveira Santana e Márcio Oliveira Santos respondem por ocultação de provas e ocultação de cadáver. Eles aguardam julgamento em liberdade.

De acordo com a denúncia, os dois primeiros acusados estavam de plantão na saída do túnel e confundiram o carro da engenheira com o de criminosos. O soldado William teria sido o responsável pelos disparos. Ao perceberem o engano, chamaram dois colegas para ajudar a desfazer a cena do crime.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC