Publicado em sexta-feira, 27 de novembro de 2009 às 07:00

Sesi resgata o atletismo no Grande ABC


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

Incorporar notícia

Ricardo Trida/DGABC

Recorrer à história do passado para conquistar novos capítulos no futuro. O anúncio feito pelo presidente do Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), Paulo Skaf, em visita ao Diário, de que o Sesi (Serviço Social da Indústria) de Santo André (Prefeito Saladino) hospedará novamente o atletismo de alto rendimento, foi recebida com grande satisfação e projeção para o Grande ABC, há pouco menos de sete anos da Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016.

"Esse anúncio com o qual o presidente nos brindou emocionou a estrutura local e propicia o resgate da história do Sesi Santo André como celeiro de atletas do atletismo", comentou o diretor regional andreense, Sérgio Moretti. "A ideia é trazer o esporte de alto rendimento para o Grande ABC e ativar o atletismo em Santo André, pois é modalidade de grande tradição", afirmou Skaf.

Entre as décadas de 1970 e 1990, Santo André foi um dos principais centros do atletismo estadual e nacional, servindo como base para alguns dos principais atletas, como André Domingos (que é andreense), medalhista de bronze na Olimpíada de Atlanta (1996) e prata em Sydney (2000), no revezamento 4 x 100m, Elisângela Maria Adriano, atual recordista brasileira e sul-americana do lançamento de disco e peso, além de outros que viraram técnicos, como Adalto Domingues, hoje instrutor do maratonista Marilson dos Santos.

Com toda a estrutura necessária para receber atletas e profissionais, como uma pista com medidas oficiais, entre outros benefícios, o Sesi iniciou ontem a busca por aqueles que vão reerguer o esporte em Santo André. "Dentro do dinamismo e da velocidade que o presidente Paulo Skaf tem em sua gestão, vamos agir no mesmo ritmo. Imediatamente constituída a equipe, aprovada e homologada, iniciamos os trabalhos", explicou Moretti. A previsão do tiro inicial é para janeiro de 2010 e aqueles que já treinam ou trabalham no local não serão esquecidos.

De acordo com o diretor, os ex-atletas que iniciaram ou treinaram no local devem fazer parte do projeto. "Temos esses nomes que a história registra, mas não vou adiantar ainda quem são. Vamos avaliar com cuidado os profissionais para esse novo momento. É uma oportunidade que não se traduz como retomada, mas como desafio para redimensionar e requalificar nossas técnicas e estruturas, em busca da excelência", afirmou Sérgio Moretti, que descarta relação entre a Olimpíada de 2016 e a empreitada. "Não é um investimento visando os Jogos. A participação e os resultados são consequência".

Algumas intervenções, no entanto, terão de ser realizadas no local, como a adaptação da pista ao material sintético. Mas, de acordo com o diretor, todo o investimento será do próprio Sesi. "Os projetos de investimento implicam em um estudo que vai indicar o que é necessário fazer. Todos os recursos utilizados são do Sesi, aportados nessa melhoria", concluiu.



Veja Também

Tags

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Revista Playboy Revista Sexy Palmeiras Corinthians São Paulo Santos Santo André São Bernardo São Caetano Diadema Ribeirão Pires Mauá Rio Grande da Serra Grande ABC Ronan Maria Pinto

Action 'Detalhe :: Index', Execute: 0,03s, Render: 0,16s.