Fechar
Publicidade

Economia

Publicado em domingo, 11 de setembro de 2011 às 07:11 Histórico

Construcard é usado para pagar pedreiro

Está cada vez mais fácil conseguir crédito para construir ou reformar. Uma opção que está caindo no gosto popular é o programa Carta de Crédito FGTS Construcard da Caixa Econômica Federal, que permite comprar material e contratar os serviços como pedreiro, pintor e encanador com a facilidade do financiamento dos valores.

O benefício se destina às pessoas físicas com renda familiar mensal bruta de R$ 465 até R$ 3.900, apurada na data da avaliação de risco. Sendo permitida a ampliação da renda para até R$ 5.400 para imóveis situados em municípios integrantes das Regiões Metropolitanas ou equivalentes, municípios sede de capitais estaduais ou municípios com população igual ou superior a 250 mil habitantes.

A aquisição do empréstimo é simples. O cliente tem a opção de acrescentar, no valor da operação que libera recursos para a compra do material de construção, até 15% para pagamento de mão de obra, desde que o novo valor da operação obtido não extrapole o limite máximo estabelecido para a modalidade, observada a capacidade de pagamento dos contratantes do empréstimo.

VALORES

O montante para adquirir um Construcard varia de R$ 1.250 até R$ 25 mil, sendo que o valor venal do imóvel tem que ser de até R$ 80 mil. O crédito dos recursos é efetuado na conta da pessoa que está pedindo o financiamento e liberado no ato das compras com o cartão Construcard, para transferência automática ao lojista. Para o pagamento dos serviços é possível utilizar o crédito disponível na conta-corrente.

COMO FUNCIONA

O financiamento para compra de material ou pagamento de mão de obra tem duas fases: utilização e amortização. A fase de utilização, que pode variar de dois a seis meses, compreende o período disponível para realizar as compras e, neste intervalo, são cobrados apenas os juros sobre o valor utilizado e a taxa operacional mensal.

Já a etapa seguinte, que pode variar de dois meses a 40 meses, destina-se à amortização do saldo devedor, ou seja, o pagamento mensal das parcelas devidas até a quitação do financiamento. Esta etapa tem início após o término do prazo de carência definido para as compras. O período máximo da operação para as duas fases é de até 42 meses.

As prestações mensais nas fases de utilização e de amortização serão debitadas automaticamente em conta que a pessoa terá que ter na Caixa.

GRANDE ABC

O número de famílias beneficiadas com esta linha de crédito na região, até julho, é de 4.808, crescimento de 3,29% frente ao mesmo período de 2010, quando somou 4.655 pessoas.

O valor médio para cada operação é de aproximadamente R$ 17 mil, o que soma nos primeiros sete meses deste ano o total de R$ 82.779 milhões em concessões para as famílias inscritas no programa da Caixa. O montante liberado neste ano é 75% superior ao disponibilizado pelo Construcard no mesmo período de 2010 (no ano passado foram R$ 62.289 milhões), que tinha média de empréstimos até julho de cerca R$ 13 mil.

Isto significa que o mercado de construção civil está mais aquecido neste ano, apesar das medidas de restrição ao crédito, e a população brasileira está com melhores condições financeiras pelo aumento de vagas no mercado de trabalho, atrelado a melhoria dos salários recebidos pelos trabalhadores.

As condições pedidas pela Caixa para conceder o Construcard são: idoneidade cadastral, capacidade de pagamento, capacidade civil - maioridade ou emancipação se menor com idade entre 16 e 18 anos incompleto -, ser brasileiro nato, naturalizado ou detentor de visto permanente no País, não ser detentor de financiamento vinculado a outro imóvel, em qualquer parte do País, não ser proprietário ou comprador de outro imóvel residencial no atual local de domicílio/residência, nem onde pretende fixá-lo.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC