Fechar
Publicidade

Economia

Publicado em sábado, 22 de maio de 2010 às 07:00 Histórico

Funcionários da GM rejeitam PLR de R$ 10 mil

Os funcionários da GM (General Motors) rejeitaram ontem, por unanimidade, a proposta da PLR (Participação nos Lucros ou Resultados) de R$ 10.020 feita pela montadora.

Segundo o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Francisco Nunes Rodrigues, o Nunes, os trabalhadores não aceitaram a proposta devido à meta de produção estabelecida pela montadora de 385 mil veículos para este ano.

No início das negociações, a GM propôs a produção de 411 mil unidades, entre as duas unidades (São Caetano e São José dos Campos). "No ano passado, a meta prevista pela montadora era de 300 mil veículos. Nós ultrapassamos essa marca em 37 mil. Ou seja, é melhor baixar a meta para que a gente consiga ‘batê-la' do que o contrário. A meta está muito alta", diz Nunes.

Além disso, o sindicalista acredita que 40 horas de trabalho semanais não sejam o suficiente para alcançar o que a empresa propôs.

A intenção por parte dos trabalhadores é garantir o recebimento da PLR em 100%. "Caso a meta da produção não seja alcançada, os trabalhadores recebem apenas 80% do benefício e queremos garantir os 100% ou mais", afirma Nunes.

A cada 3.000 veículos produzidos a mais do que havia sido proposto pela fábrica, o trabalhador receberia R$ 91,17. Caso a PLR fosse aprovada, a primeira parcela (R$ 4.500) seria paga no dia 28 e a segunda em janeiro. No ano passado, a participação foi de R$ 6.900. Porém, os funcionários bateram 118% da meta proposta e receberam R$ 8.043.

A GM em São Caetano emprega, atualmente, 10 mil funcionários, entre mensalistas e horistas.

Na segunda-feira, sindicalistas vão comunicar à empresa sobre a rejeição da proposta e retomar as negociações com a montadora. Procurada pela reportagem, a GM não quis comentar o assunto.

MERCEDES - Também nesta semana, os funcionários da unidade de São Bernardo da Mercedes-Benz aprovaram a PLR para este ano de R$ 10,8 mil. De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre, a primeira, de R$ 5.200, está prevista para este mês. O restante será creditado no dia 20 de dezembro.

A projeção é que as primeiras parcelas das PLRs, dos cerca de 140 mil metalúrgicos das sete cidades, injetem R$ 270 milhões na economia da região até a metade do ano.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC