Fechar
Publicidade

Política

Publicado em sábado, 8 de maio de 2010 às 09:11 Histórico

Políticos protestam contra venda de rua em Ribeirão

Cerca de 40 políticos, servidores municipais e representantes de entidades civis protestaram ontem contra a venda da Rua Domingos Megias Morgado, no novo Centro, pela Prefeitura de Ribeirão Pires. No local funciona o Estacionamento 45 graus, que serve como praça de confraternização e atividades culturais - até o ano passado, o lugar era o ponto de saída do Bloco das Mocreias, tradicional grupo de Carnaval da cidade.

Entretanto, conforme o Diário divulgou ao longo da semana, a rua será vendida por R$ 1,5 milhão para Wagner Damo, proprietário da Lara - Central de Resíduos LTDA e sobrinho do ex-prefeito de Mauá Leonel Damo (sem partido após se desfiliar do PV em 2009). O empresário, integrante do grupo político do prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PV), pretende construir um prédio comercial no lugar.

Para os manifestantes, entretanto, a cidade não pode perder um local de reuniões como o 45 graus. "A juventude precisa deste espaço para se encontrar e conversar", afirmou a diretora financeira da Arca (Associação Ribeirãopirense de Cidadãos Artistas), Mariana de Lima.

Além da necessidade de recursos financeiros para obras de infraestrutura, um dos motivos alegados pelo prefeito para a venda é a "baderna" feita por jovens nos bares da região - em 2009, abaixo-assinado dos moradores pediu que Volpi solucionasse o problema.

O presidente da Arca, Rafael Clemente, contou que frequentava o 45 graus quando era jovem e criticou a ‘solução' encontrada pelo prefeito para acabar com o barulho. "Se existe bagunça ou pessoas se drogando, é só colocar a polícia para controlar. Você não ve o Kassab (prefeito de São Paulo pelo DEM) vendendo as ruas da Cracolândia para se livrar dos drogados de lá", criticou.

Além de entidades civis, a manifestação contou com apoio de partidos políticos, principalmente o PT, que se dirigiu ao local com um caminhão de som da deputada estadual Ana do Carmo (PT) após protesto no Paço Municipal por melhores salários para os funcionários públicos.

As críticas dos políticos, entretanto, focaram mais a figura do prefeito e seu governo. Segundo o presidente do PT de Ribeirão Pires, Antônio Carlos de Souza, o Carlão, o 45 graus foi planejado na gestão da ex-prefeita Maria Inês (entre 1997 e 2004 pelo PT) para ser um ambiente de confraternização ao ar livre. "Desde que ele (Volpi) assumiu, a cidade tem perdido esses espaços. A própria Vila do Doce está cheia de cercas e elitizada", criticou.

Em recente entrevista ao Diário, o prefeito classificou os protestos e críticas a "atuação normal da oposição" e disse que ela não gosta das benfeitorias feitas por seu governo na cidade. "Assim eles não têm o que criticar", alfinetou.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC