Fechar
Publicidade

Setecidades

Publicado em quinta-feira, 3 de julho de 2008 às 16:56 Histórico

Pai presta queixa contra Neomater após morte de bebê

O eletricista Ricardo Alves registrou boletim de ocorrência contra o Hospital Neomater, em São Bernardo, porque sua esposa perdeu o bebê que esperava nove horas após dar entrada na maternidade, na terça-feira. O corpo da criança, que se chamaria Emanuele, foi enterrado nesta quinta-feira no Cemitério do Curuçá, em Santo André.

Segundo boletim lavrado no 2º DP de São Bernardo, a dona de casa Roseli Felix dos Santos, 39 anos, deu entrada no Neomater por volta das 12h35 de terça-feira depois de ser diagnosticada pelo Hospital Santa Helena — onde fazia o pré-natal — com perda de líquido amniótico.

Ainda de acordo com o documento, a gestante precisaria ser submetida a um parto de urgência diante de seu quadro clínico. Porém, passadas nove horas da internação e ainda sem ter entrado na sala de cirurgia, foi constatada a morte do bebê.

"Eu pretendo processar o hospital. Não posso deixar isso quieto. Minha mulher estava com situação de urgência e várias outras grávidas passaram na frente dela (na sala de parto). Se tivessem atendido antes, talvez o bebê tivesse sido salvo", afirmou Ricardo.

"As enfermeiras diziam que a Roseli já tinha sido examinada e que estava tudo bem, mesmo sabendo que estava com perda de líquido amniótico. Uma delas disse, inclusive, que o caso da minha mulher não era grave e que o outro hospital (o Santa Helena) não deveria ter apavorado a família. Mas agora a minha filha está morta", acrescentou.

Rafael Bianchi Lara, sobrinho de Roseli, estava na quarta-feira no hospital e contou já ter colocado à venda todos os móveis comprados para o quarto do bebê. "Fiz isso para que minha tia não sofresse ainda mais com a perda da filha. Liguei para os classificados de um jornal e anunciei tudo. Também pedi para o meu pai desmontar o berço do bebê antes que a Roseli chegasse em casa".

A dona de casa foi submetida ao parto para a retirada do bebê na quarta-feira e hoje recebeu alta do hospital. O resultado da necropsia realizada no corpo da criança deve sair entre 20 e 30 dias.

Neomater - O Hospital e Maternidade Neomater foi procurado pela reportagem e negou ter havido demora no atendimento de Roseli dos Santos. Segundo o coordenador dos plantonistas, Hsu Wen Shih, a gestante foi avaliada no pronto-socorro tão logo deu entrada no hospital e os exames indicaram que não havia necessidade de parto naquele momento.

"Os exames não mostraram nenhuma alteração que justificasse a cesárea naquele instante. Infelizmente, quando Roseli passou por uma outra avaliação horas mais tarde, os médicos perceberam que o coração do bebê não estava mais batendo", explicou Shih.

Segundo ele, quando os obstetras realizaram o parto da dona de casa, verificaram que o bebê estava com o cordão umbilical enrolado no pescoço - a possível causa do óbito. Questionado se um exame não poderia ter detectado a alteração, Shih disse que não. "É muito difícil, nem mesmo com ultrassom".

Para o coordenador, o que ocorreu foi uma fatalidade. "É difícil explicar o que ocorreu porque trata-se de uma fatalidade. Infelizmente, Roseli estava aqui no hospital no momento do óbito", disse.



Veja Também

Tags


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook! Lembre-se que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diário do Grande ABC