Memória

A moça do Riacho, às vésperas dos 100 anos

Augusta Bisognini Brentegani, adorável senhora do Riacho Grande, 100 anos a serem completados amanhã. Todo um testemunho da transformação geográfica mais radical sofrida por São Bernardo e pelo Grande ABC, que foi a formação da Represa Billings, que ela viu subir no ano de 1927. A menina Augusta tinha 11 anos de idade.

Pois Augusta nasceu quando o Grande ABC se chamava São Bernardo e era formado por um único município – hoje são as sete cidades que dão título a esta editoria do Diário.

Em Destaque

Dona Augusta e familiares seguiam para a Vila de São Bernardo, para Santos ou para São Paulo pelo Caminho do Mar – a Via Anchieta ela também viu construir.

O que pouco mudou foi a Estrada do Rio Acima, serpenteando entre os braços da represa. Ali ela nasceu. Por ali passava o jovem galanteador italiano Bruno. Trocavam linha, sob os olhares vigilantes e severos do pai, Luiz Bisognini, italiano como o futuro genro: Bruno, de Peschiera Del Garda; Luiz (ou Luigi), de Sarego, de Lonigo.

A casa de dona Augusta, construída em área elevada fora do limite das águas da represa, ocupa uma verdadeira colônia familiar, junto a filhos e netos.

Uma história de amor, a de dona Augusta, com quatro filhos que amam a história, a partir da caçula Anselma, a historiadora da família, que tem reunido centenas de imagens, milhares de informações, com o apoio de todos, a começar da mamãe Augusta, honra e glória de todos nós, batateiros.

ÁLBUM DE FAMÍLIA
Augusta nasce em 8 de agosto de 1916, sendo registrada em 17 de agosto.
Pais: Luiz Bisognini e Mariana Zaia.
Irmãos: Amélia Suster, Maria Catharina Pires, Antonio Bisognini, José Gino Bisognini, Nair Bernardelli, Assunta Rossi, Américo Bisognini, Artilio Bisognini, Ida Bisognini, Ermelino Bisognini, Antonieta, Valdomiro Bisognini e Theodora Santos.
O casamento: em 28 de abril de 1951 com Bruno Brentegani.
Filhos: Sueli, casada com Atilio Rigo; Rubens, casado com Neide; Bruno, casado com Maria Aparecida; Anselma, casada com Osvaldo.
Netos: Tatiane e Marcelo, Mariana e Leonardo, Francine e Bruno, Mayara.
Bisnetos: Manoela, Isabela e Ian (a caminho).

A luz que não chegava
Depoimento: Augusta Bisognini Brentegani
Não havia luz elétrica no bairro dos Finco. A represa foi feita para fornecer luz, mas demorou muito para a eletricidade chegar por aqui. À noite, depois do jantar, arrumávamos a cozinha e nos reuníamos na sala. Uma vela no meio da mesa iluminava o suficiente para que fizéssemos bordados. Sei fazer bordado até hoje, e faço. Não uso óculos nem tenho dor de cabeça. Nada me dói.

De uma gravação que fizemos em 2012 com dona Augusta.

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 7 de agosto de 1986 – ano 29, edição 6205
Manchete – Governo proíbe o comércio de telefones
Santo André – Estado libera recursos em dez dias para desapropriar o conjunto Centreville.
Movimento Sindical – Previdenciários da região aderem à greve.
Primeira Divisão – Ontem, no Pacaembu: Corinthians 1, Santo André 0.

Em 7 de agosto de
1916 – A guerra. Do noticiário do Estadão: na frente italiana, encarniçadas ações de infantaria no Monte Siet.
1971 – TV Gazeta grava em vídeotape o baile promovido pelo clube da Rhodia, com a presença da cantora Martinha e de Os Vips: promessa de exibição na semana seguinte.
Apolo-15 conclui missão com êxito e desce no Oceano Pacífico.

News Seller há 50 anos
Domingo, 7 de agosto de 1966 – ano 9, edição 431
Manchete – Falhas gritantes na execução das obras públicas: inércia de Zampol (Fiorante, prefeito).

Santos do dia
São Caetano de Thiene (1480 – 1547) fundou a Ordem dos Teatinos Regulares. É o padroeiro da cidade de São Caetano e ganhou livro escrito pelo jornalista Glenir Santarnecchi.
O nome São Caetano foi dado à fazenda dos beneditinos do antigo Tijucuçu – nome primitivo da cidade – quando da sua instalação, em princípios do século 18.
Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR
Sisto II e Companheiros
Vítricio

Municípios Brasileiros
Celebram seus aniversários neste dia 7 de agosto: Cipotânea (Minas Gerais), Conceição do Tocantins (Tocantins), Feliz Deserto (Alagoas), Kaloré (Paraná), Laranjeiras (Sergipe), Painel (Santa CatarinaC) e Passo Fundo (Rio Grande do Sul).

Processo do MMDC, irmanados na sociedade
“Estou em 2016, e aos que pensam que a história da Revolução Constitucionalista acabou, engana-se. A Sociedade Veteranos de 32 – MMDC existe para que ela nunca acabe, e assim como o MMDC do 24 de maio, a Sociedade Veteranos de 32 também organizou-se e potencializou-se em dezenas de núcleos, espalhados por uma enorme terra bandeirante.”
Cf. Rodrigo Gutenberg, professor com formação em História, in Para sempre 32 (Editora Matarazzo, 2016). 


Comentários


Veja Também

Tags

memoria ademir medici sao bernardo centenaria

Mais Destaques


Voltar