Setecidades

Aplicativo promete eliminar as filas nas portas de restaurantes


Quem nunca ouviu dizer que o paulistano gosta de fila? Um mito que tenta, de todas as formas, ser extinto. Uma das provas mais recentes é um aplicativo criado, justamente, para evitar as longas esperas dos restaurante e bares não só de São Paulo, como do Brasil inteiro.

“O Get in surgiu como uma demanda para desenvolver fila de espera online para um cliente em específico. Analisamos o mercado, usamos o estabelecimento inicial como case e percebemos que a plataforma serviria para todos os restaurantes. No início de janeiro de 2015, já estávamos funcionando”, explica Neto Salvestrini, co-fundador da ferramenta.

Leia Mais

Hoje, são cerca de 100 estabelecimentos participantes em sete capitais brasileiras. No Grande ABC, por enquanto, só há restaurantes cadastrados em São Bernardo e Santo André.

O aplicativo pode ser baixado gratuitamente nas plataformas iOS e Android. Para entrar efetivamente na fila de espera é que se é cobrada uma taxa de R$ 4,90. O pagamento é feito dentro da plataforma por cartão de crédito. “Quem gosta do restaurante, vai acabar indo no lugar tendo fila ou não. O valor que cobramos é pela comodidade de poder esperar sua vez em casa, e também para evitar o ''''no-show'''' (quando os clientes reservam, mas não aparecem)”, conta Salvestrini.

Assim que a pessoa entra na fila, o aplicativo acompanha em tempo real em que posição ela está para conseguir sua mesa. “Somos integrados com o Waze, então, junto à posição na fila, o aplicativo calcula o tempo que demorará para chegar ao restaurante e o melhor caminho.” Após conseguir a mesa, a tolerância é de três minutos. Caso o cliente não chegue ao local durante o intervalo, ele volta para a fila, mas em primeiro lugar.

Com uma base de 100 mil usuários, a ferramenta regista, em média, 15 mil novos cadastros mensais. “Nossa principal barreira atualmente é cultural, tanto do restaurante, que não imaginava ter uma tecnologia tão avançada no seu estabelecimento, quanto dos usuários, que precisam ser apresentados à plataforma. Lembrando que nosso objetivo não é deixar o usuário da fila física bravo, mas sim fazê-lo conhecer outra opção.”

Se a pessoa não sabe onde quer jantar ou almoçar, dentro do aplicativo é possível ainda pré-selecionar uma categoria, como por exemplo “1º encontro”, com dicas de locais considerados mais românticos, “Burguer time”, que indica hamburguerias, ou “Tô com pressa”, para aqueles que precisam ter uma refeição rápida.

“Alguns restaurantes oferecem também a possibilidade de fazer reserva online, que é uma novidade que lançamos este mês. O serviço é gratuito para o cliente, quem arca com os custos são os próprios restaurantes”, conta o co-fundador do Get in.

Comentários


Veja Também


Voltar