Economia

Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda com clima de pessimismo sobre acordo


Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta segunda-feira (18), em queda, apenas com Londres na contramão, com o clima de pessimismo entre investidores em relação ao acordo comercial entre Estados Unidos e China. Com isso, o índice pan-europeu Stoxx 600 terminou o pregão em queda de 0,15%, aos 404,80 pontos.

Agentes do mercado operaram com cautela ao longo do dia, reagindo a um relato da jornalista Eunice Yoon, da CNBC, de que o governo chinês está "pessimista" quanto à possibilidade de se firmar um acordo comercial preliminar com os EUA.

A postura responderia a declarações do presidente norte-americano, Donald Trump, de que não estaria disposto a remover tarifas impostas ao país oriental.

Mais tarde, o jornal South China Morning Post publicou que a quantidade de produtos agrícolas americanos a ser comprada pelos chineses e questões envolvendo propriedade intelectual ainda são barreiras para a assinatura de um entendimento entre as duas maiores economias do mundo.

Com o mau humor disseminado, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, fechou em queda de 0,26%, aos 5.929,79 pontos. A baixa vem apesar do Bundesbank (banco central alemão) afirmar, nesta segunda-feira, em relatório mensal, que não teme uma recessão para o país.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, cedeu 0,16%, a 5.929,79 pontos, enquanto o FTSE MIB, da Bolsa de Milão, perdeu 0,53%, a 23.463,98 pontos.

A Bolsa de Londres, contudo, seguiu na contramão das demais, com o índice FTSE 100 encerrando o dia em alta de 0,07%, a 7.307,70 pontos, respondendo a falas do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, ao jornal The Telegraph.

O premiê garantiu que todos os 635 candidatos conservadores que disputarão a eleição geral de 12 de dezembro se comprometeram a apoiar seu acordo do Brexit no Parlamento, se eleitos. No mercado londrino, os papéis do Lloyds Banking subiram 0,96%.

Nesta segunda-feira, também ecoaram entre investidores declarações de autoridades da zona do euro. O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, declarou que a instituição ainda não chegou ao limite de medidas de estímulo monetário. Já o vice-presidente do BCE, Luis de Guindos, disse que recessão não é algo provável para o bloco.

O índice Ibex 35, da Bolsa de Madri, fechou em queda de 0,04%, aos 9.258,00 pontos. Na capital espanhola, a ação da Bolsas y Mercados Españoles Sociedad Holding de Mercados y Systemas Financieros SA (BME) saltou 38,03%, após notícia de que duas bolsas europeias - a suíça SUX e a Euronext, que controla os mercados acionários de Paris e Amsterdã - demonstraram interesse em comprá-la.

Já o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, caiu 0,08%, a 5.263,61 pontos.

Comentários


Veja Também


Maioria das Bolsas da Europa fecha em queda com clima de pessimismo sobre acordo

Os mercados acionários europeus encerraram o pregão desta segunda-feira (18), em queda, apenas com Londres na contramão, com o clima de pessimismo entre investidores em relação ao acordo comercial entre Estados Unidos e China. Com isso, o índice pan-europeu Stoxx 600 terminou o pregão em queda de...

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:
Voltar