Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Começa a viagem


Ademir Medici

16/05/2017 | 07:00


 Lá vamos nós, no Bondinho da Pedreira, pegando carona com o condutor José de Oliveira, observando a partida do bairro da Pedreira com suas casas coloniais e ruas desertas, sentindo as mesmas emoções dos escolares de volta para as suas casas, remoendo as mesmas dúvidas já alinhavadas: como se chamam esses meninos?

Que caminhos seguiram? E a história de vida do Sr. José de Oliveira? Onde nasceu, quando chegou a Rio Grande, quem são seus descendentes? Que ensinamentos ele deixou?

E o nome da repórter que escreveu sobre esta viagem do bondinho, a parceira do repórter-fotográfico João Colovatti?

Que esta semana, além de divulgar a realização do 14º Congresso de História do Grande ABC, Rio Grande da Serra novembro de 2017, possibilite a resposta às dúvidas compartilhadas com você, caríssimo leitor.

Segue mais um trecho da reportagem publicada pelo Diário em 1972.

 

AUTO/LINHA

O bondinho é uma velha caixa de madeira pintada de amarelo, medindo cerca de 3 m de largura por 4,5 m de comprimento. Corre sobre trilhos bitola larga. O motor é Chevrolet a gasolina. Não tem direção, só câmbio, embreagem e acelerador. O freio é à mão.

Na janela dianteira e em duas laterais há vidros. Tem mais duas janelas laterais e uma traseira, onde há uma lona que só é baixada quando chove.

A porta, pequena e dobrável, fica no centro da parede esquerda. Dentro, além da cadeira do motorista, há alguns bancos de madeira encostados às paredes. No vidro dianteiro, do lado direito, os dizeres: “É proibido o transporte de pessoas estranhas neste auto/linha. A administração”.

Aproveitando a velha linha de trem que serviu, por muitos anos, à pedreira da prefeitura do município de São Paulo, que fica vizinha ao bairro da Pedreira, em Rio Grande da Serra, o bondinho transporta diariamente as crianças que moram nos bairros vizinhos para a escola local, o Grupo Escolar Professora Shisuko Ioshida Niwa.

 

Diário há 30 anos

Sábado, 16 de maio de 1987 – ano 30, edição nº 6443

Manchete – Inflação recorde atinge 20,96% em março, a maior taxa desde a implantação do Sistema Nacional de Preços, em 1979

Santo André – A Prefeitura cobra das 70 agências bancárias a abertura às 10h, conforme a lei municipal nº 6.300, resultante de projeto de lei do vereador Octavio de Oliveira.

Música – Ultraje a Rigor traz o show Sexo para o Aramaçan.

 

Em 16 de maio de...

1917 – Massa falida da Companhia São Bernardo Fabril,

a célebre Ipiranguinha de Santo André, publica novo edital de concorrência pública para a sua venda. A publicação, por ordem judicial e em prorrogação, estabelecia dez dias de prazo aos interessados.

Na descrição das instalações, o edital informava que a Ipiranguinha possuía completa e perfeita instalação elétrica para mais de 1.500 lâmpadas.

Nota – Cem anos depois, imagine-se o drama enfrentado em Santo André pelo fechamento, que se arrastava, da sua maior e mais antiga indústria.

1952 – Agremiação Cultural Estudantina é fundada

em São Bernardo.

1967 – Encerra-se a 3ª Olimpíada Colegial de São Bernardo: 11 escolas, 857 atletas, 25 mil espectadores. Instituto de Educação João Ramalho torna-se campeão, de novo.

 

 

Hoje

Dia do Gari

 

Municípios Brasileiros

Celebram aniversários em 16 de maio:

Em Rondônia, Colorado do Oeste e Presidente Medici.

Em Alagoas, Coruripe, Murici, São Luís do Quitunde e Traipu.

No Espírito Santo, Laranja da Terra.

Em Minas Gerais, Muriaé e São João Nepomuceno.

No Rio de Janeiro, Nova Friburgo e São Pedro da Aldeia.

No Paraná, Nova Laranjeiras.

Fonte: IBGE

 

Santos do Dia

Santa Margarida de Cortona (Itália, Castiglione Del Lago 1247 – Cortona, 1297). Religiosa franciscana italiana. Festa litúrgica: 22 de fevereiro; canonização, 16-5-1728.

 

Honorato

São João Nepomuceno

Luis Orione



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.